sábado, novembro 27, 2004

Não vale a pena continuar a desacreditar os resultados...

... que se encontram disponíveis por este pesquisador. No entanto não vale a pena ficar de braços cruzados, como se tudo já estivesse feito, todas as pesquisas resolvidas, todas as necessidades supridas.

A maior parte do recursos existentes, para a comunidade ligada à investigação, continuam a não aparecer nos resultados que são devolvidos pelas pesquisas do Google Scholar, conforme o apanhado feito por Shirl Kennedy and Gary Price, from ResourceShelf, comment on Google Schoolar: Big News: "Google Scholar" is Born:

"Is all of this yet another nail in the coffin for library resources and maybe librarians? Too early to tell, of course. Kudos to Google for doing so but the library community could (should?) have done something similar years ago. Why didn't we?"

Continuar a achar que a desculpa é que "outros ainda fazem pior do que nós" e que já muito foi feito para o que é utilizado, é uma pobre resposta que em nada benefícia os profissionais ligados à informação e às bibliotecas.

Temos hoje a possibilidade de nos organizarmos em rede, independentemente do espaço geográfico emque nos encontramos, e diversas são as iniciativas que podem dar visibilidade às bibliotecas quando os esforços são congregados. O repositóriUM, em Portugal, e a OCLC, a nível global, são excelentes exemplos do que pode ser feito com os contributos de cada um.

Os blogs são uma excelente ferramenta para nos colocarmos a par do que está a ser feito em diversas áreas do nosso interesse e de encontrarmos novas formas de contribuir (v.g. Blogs for Libraries), como por exemplo o Blog de George, Alice e Alana, que trabalham na OCLC, Online Computer Library Center (v.g. The Big Bang - Google Scholar, a propósito do que pode representar para o Google Scholar os contributos dos catálogos cooperativos de bibliotecas).

Das pesquisas que realizei, não encontrei nenhuma biblioteca em Portugal que faça parte desta organização. O que resulta na não indexação dos materiais existentes em todas as nossas bibliotecas em Portugal, as tais que mais facilmente poderemos consultar para aceder aos conteúdos (mesmo os que fazem parte das assinaturas que cada uma destas instituições paga e às quais podemos ter acesso, muitas vezes, electronicamente - v.g. recursos online na Biblioteca do INETI).

De certeza que deixei de fora muitas iniciativas e muitas pessoas que estão envolvidas em projectos nesta área. Fica o espaço nos comentários para rectificarem ou acrescentarem o que sabem ;-)

InBox and OutBox thinking

Registado por Mentor Cana para pensar no papel que as teorias desempenham:

"Sooner or later many of us are guided by set of theories, frameworks and paradigms in our research work, some of them tacit and some explicit. They direct our research within the appropriate and relevant scholarly community, thus increasing the chances for scholarly collaboration and communication with like-minded folks.

However, the same theories, paradigms and frameworks also limit our imagination and innovative thinking, they create the box within which we think and operate. Thus, they can have potentially negative effect by filtering away problems and issues that merit scholarly scrutiny but are not scrutinized because our mode of thinking does not allow them to reach us."

quarta-feira, novembro 24, 2004

Pois...

Ainda não percebi porquê o Dia Nacional da Cultura Científica, continuo a pensar que é perpetuar a pequenez do nosso país, tal como os dias que parecem assinalar as minorias e assim as estigmatizam. Estaríamos todos à espera deste dia, para nele (e respectiva semana) sermos iluminados para a produção da «ciência», com balões, fitas e palestras?... Posso parecer pessimista mas diria antes que sou uma realista casmurra que ainda vai acreditando que um dia...
[in researchcafe.net] "As estatísticas apontam para cerca de 25 mil os trabalhadores ligados ao sector da investigação, nem todos obviamente investigadores. O conjunto dos Laboratórios de Estado e universidades rondará os 2.500 investigadores."
E mais investigadores não há, porque nem todos são suficientemente casmurros para trabalharem com a falta de condições existentes em Portugal, e pela politiquice constante da investigação ao sabor de quem tem o poder nas mãos. É triste

sexta-feira, novembro 19, 2004

Tempo para uma pausa de fim-de-semana

Vou dar um salto até Ponte da Barca (cerca de 450Km). A família bem merece!


Casa Nobre do Correio Mor



quinta-feira, novembro 18, 2004

There's more about Google Scholar then I saw

If one types the name of an author like Nancy Adler [used in my thesis (finished, just waiting for defense)], notice the posibility of checking if the nearby library as it. It's great, all in one easy interface. Now maybe they will understand the importance of the libraries in our daily research work ;-)

Pesquisador Académico do Google (versão beta)

Mais uma ferramenta com grande potencial para quem está ligado à investigação [via YGM]. O Google Scholar (versão beta) permite pesquisar trabalhos de autores conhecidos e obter o número de citações que esses trabalhos têm, segundo algumas regras. A título de exemplo, digitei "Tom Wilson".
Para quem pretender que a tese seja indexada...

quarta-feira, novembro 17, 2004

Há coisas assim...

... de facto, o mundo é pequeno! Um telefonema que por acidente veio cair na minha extensão telefónica, acabou por resultar no que espero venha a ser o início de muitas conversas sobre comunidades virtuais. O Frederico encetou agora a sua ligação ao blogoespaço, mas já tem vários nós na rede, que dão uma ideia sobre os seus interesses e o porquê de termos ficado a falar algum tempo ao telefone :-)

terça-feira, novembro 16, 2004

Mais uma Tese - Gestão do Conhecimento

Deste vez foi o Leonel que esteve a defender a sua tese, sobre Gestão do Conhecimento, recorrendo ao estudo de caso - Leonel Alegria (2004). Gestão do Conhecimento: Estudo de Caso no Departamento de Pesquisas e Intervenção da Administração Central. Lisboa, ISCTE, MEIBD:

"Este estudo circunscreve-se ao tema da Gestão do Conhecimento organizacional. A Gestão do Conhecimento é entendida como uma filosofia ou estratégia de gestão dos recursos de informação e de conhecimento de uma organização. Através de processos, práticas e tecnologias, tem por objectivo transformar a informação e o conhecimento em activos e acções que visam a melhoria da produtividade, a inovação e a competitividade organizacional.

O estudo do tema e das problemáticas da Gestão do Conhecimento foi aplicado à realidade organizacional do "Departamento XPTO", organismo da Administração Pública. As finalidades do estudo foram as seguintes: 1) a aprendizagem organizacional; 2) a partilha do conhecimento; e 3) a melhoria (e aumento) da produtividade. Para se atingirem estas finalidades, o estudo compreendeu quatro objectivos: a) a constituição de uma base de conhecimento com meta-informação sobre os conhecimentos e competências individuais (mapeamento do conhecimento); b) o levantamento dos processos de informação e conhecimento; c) a inventariação, descrição e mapeamento das "Entidades de Recursos de Informação" (ERIs) de acordo com a metodologia "Infomap"; e d) a identificação de eventuais "barreiras" individuais e organizacionais que poderiam obstar à Gestão do Conhecimento.

Para o estudo da realidade organizacional foi adoptada a metodologia de "Estudo de Caso" - estratégia intensiva de investigação -, a qual faz uso de "múltiplas fontes de evidência", de modo a prover uma análise do contexto e dos processos envolvidos numa organização ou fenómeno. Assim, a recolha de dados congregou quatro métodos de pesquisa: dois questionários semi-estruturados ("A" e "B"); a descrição, inventariação e mapeamento de recursos de informação; e a observação participante.

De acordo com o diagnóstico realizado, desenvolveu-se um "Modelo Genérico de Intervenção da Gestão do Conhecimento". Este modelo compreendeu um "Sistema de Gestão do Conhecimento", (SGC) infra-estrutura tecnológica para gestão dos dados e da informação e um "Sistema de Intervenção Organizacional e Cultural" para gestão dos processos de informação e conhecimento (incluindo gestão de pessoas e grupos de trabalho), ambos de acordo com uma "Intenção Estratégica" para a qual existiria uma "Gestão Táctica".

O SGC assenta numa plataforma "Intranet", "web-based", que inclui tecnologias específicas que correspondem à «conversão» do conhecimento que deverão impulsionar o ciclo de aprendizagem organizacional. O "Sistema de Intervenção Organizacional e Cultural" assenta nos processos de "gestão táctica" do conhecimento: obtenção, utilização, aprendizagem e contribuição de informação e conhecimento."

Foi também oportunidade para rever colegas da 2ª edição do MEIBD, turma de 2001-2002, e colocar os contactos em dia. Dois de nós (eu e o Pedro) aguardamos que seja marcada a data para a defesa. Estamos a pensar marcar uma jantarada. Mais alguém por aí que faça parte do Mestrado em Estudos de Informação e Bibliotecas Digitais? ;-)
[Nota: procurar mais entradas neste blog (que já estejam indexadas pelo google) sobre MEIBD ou usando a palavra defesa]

segunda-feira, novembro 15, 2004

Mapeamento da Gestão da Informação (GI) em Portugal

Para quem se interessa por GI (ou anda à procura de um tópico para desenvolver a sua tese), talvez seja uma das oportunidades a não perder - Hoje, das 19:30 às 21:30, no ISCTE: Gestão de Informação: Elementos para o estudo da configuração desta disciplina em Portugal:
"(...) A configuração da disciplina de GI no contexto português pode corresponder a um fenómeno de isomorfismo em relação à disciplina de Sistemas de Informação. Para se avaliar a ocorrência do fenómeno de isomorfismo, serão objecto de análise não só todas as teses produzidas no âmbito dos MGI's [Mestrados em Gestão de Informação] entre Janeiro de 1998 e Dezembro de 2002, mas também todas as teses produzidas durante este mesmo período de cinco anos no âmbito de dois Mestrados em Sistemas de Informação."
A apresentação dos resultados provisórios do programa MESTRE, por Investigadora do INETI, Doutora Zita Correia.
Será que sabiam que o primeiro Mestrado de Gestão de Informação, em Portugal, foi lançado pelo INETI, através do CITI, com a parceria da Universidade de Sheffield , em 1991?

quinta-feira, novembro 11, 2004

Creative Commons Search / Pesquisador da Creative Commons


Creative Commons Search: "(...) this search helps you find photos, music, text, and other works whose authors want you to re-use it for some uses -- without having to pay or ask permission."
Muitos artigos editados em revistas de acesso livre são apanhados por este pesquisador. Por exemplo, os artigos da Information Research.
Para quem pretender licenciar o seu weblog com uma licença da CreativeCommons, está tudo explicado
aqui.

quarta-feira, novembro 10, 2004

conversations with strangers

Couldn't hold myself while reading the results from one study and finding similarities with engaging conversations in the blogspace.
: "(...) the normal unwritten rules of privacy and reserve are suspended - we are granted temporary `remission' from our conventional social inhibitions, and friendly conversation with strangers is regarded as entirely appropriate and normal behaviour." [from antropologi.info - Social and Cultural Anthropology in the News]
... in the study they refer to pubs in UK, in the begining of the sentence that i have deliberatly omited, so you could see my point ;-)

segunda-feira, novembro 08, 2004

Comparative Response to a Survey Executed by Post, E-mail, & Web Form

Thought I would post this below, since it's usefull for people conducting (or thinking of) surveys via internet with also a good references' section, giving a very good starting point. If research isues interest you, you may also like to have a look in The use of English questionnaires in cross-national research, Qualitative Research Bibliography, Digital information in the Information Research field, and Conducting Research Surveys via E-mail and the Web.

Gi Woong Yun & Craig W. Trumbo (2000).Comparative Response to a Survey Executed by Post, E-mail, & Web Form. Journal of Computer-Mediated Communication, vol.6 (1):
"Recent developments in communication technologies have created alternative survey methods through e-mail and Web sites. Both methods use electronic text communication, require fewer resources, and provide faster responses than traditional paper and pencil methods. However, new survey methodologies also generate problems involving sampling, response consistency and participant motivation. Empirical studies need to be done to address these issues as researchers implement electronic survey methods."