sexta-feira, julho 09, 2004

com letra pequena, claro!

Não teria escolhido o tema desta tese se não fosse a existência de quadros expatriados (Directoras, Gestoras, Brokers, Engenheiras ;-) ... o que é novo para mim é esta «coisa» (lamento, mas ainda não sei como a classificar conceptualmente) de termos um primeiro ministro (com letra pequena, claro) a «expatriar-se» após um compromisso com o seu eleitorado e depois de termos sentido na pele as medidas de contecção (e ainda estarmos à espera de mais pela instabilidade que esta situação veio provocar). Parabéns senhor ex-pm (com letra pequena, claro), conseguiu enganar todos, até aqueles que escolheu para executarem as suas medidas, mas claro que o partido que representa será sempre uma vítima. Mas acima de tudo, ensinou-nos uma grande lição: os interesses individuais estarão sempre primeiro que os interesses nacionais. A propósito, já questionou porque é que o descrédito na classe política vem crescendo? Claro que depois de lhe dizer isto, já me posso preparar para uma fuga, digo, designío nacional, de vir a ascender a uma carreira de investigação, num país qualquer, onde paguem melhor, digo, possa exercer melhor a actividade de investigação, digo, possa representar o Made in Portugal...

Sem comentários: