terça-feira, dezembro 28, 2004

Internacionalização das empresas portuguesas na década de 90

Fiz menção a este relatório na tese mas não tinha ainda aqui colocado o recurso [disponível na página pessoal de Pedro Dominguinhos]:

A internacionalização das empresas Portuguesas: uma perspectiva genérica:

"Trata-se de um estudo sobre a Internacionalização das empresas portuguesas, realizado por uma equipa de investigação constituída por elementos de dois Centros de Investigação Universitários - CISEP e CEGEA, integrados respectivamente no ISEG/UTL e na U. Católica do Porto.[p.5]

Tradicionalmente Portugal era um país receptor de investimento estrangeiro. Até à primeira metade da presente década [década de 90], o investimento estrangeiro em Portugal superava largamente o investimento português no estrangeiro. Na década de setenta este representou, em média, cerca de 25% do investimento estrangeiro em Portugal. Este indíce de cobertura desceu para aproximadamente 10%, nos anos oitenta, subindo depois para níveis próximos dos 15% no período 1990-94. Em 1995 regista-se, porém, uma alteração acentuada: os valores dos dois fluxos equilibraram-se. No ano de 1996, pela primeira vez no pós-guerra, os investimentos portugueses no estrangeiro ultrapassaram, em termos líquidos, os investimentos estrangeiros em Portugal. Para o conjunto do triénio 1995-97, os níveis líquidos dos dois movimentos foram praticamente iguais. As informações disponíveis relativamente a 1998 sugerem uma nova aceleração dos valores do investimento português no estrangeiro, devida em boa parte a operações de aquisição realizadas no Brasil." [p.7]

quinta-feira, dezembro 23, 2004


[Centro de Natal 2003] Boas Festas Posted by Hello

quarta-feira, dezembro 22, 2004

Etnografia: alternância entre subjectividade & objectividade

Exemplo dos problemas que se colocam ao investigador em ciências sociais - estudos etnográficos - Ulrike Schultze (2000). A Confessional Account of an Ethnography about Knowledge Work. MIS Quarterly, Vol. 24 (1), pp. 3-41:

"Ethnographers as knowledge workers are thus confronted with potentially conflicting demands. In their role as instrument they rely on their personal experience and subjective engagement with phenomena in the field to generate insights, whereas in their role as scientist they need to convince the scientific community of the trans-situational (Preston 1986) and reliable nature of these very phenomena. This suggests that ethnographers need to find ways of balancing subjectivity and objectivity." [keep on reading...]

terça-feira, dezembro 21, 2004

the eternal discussion... sciences versus social sciences

Everyone in social sciences at one point (or many :-) comes across the kind of discussion that originated in Lilia's post concerning reliability and validity. Every time this comes up i always turn to a story told by Jerome Kirk and Mark Miller on their great and very sintetic book: Reliability and validity in qualitative research. The story goes like this:

"A standart physical example of reliability and validity involves the use of thermometers to measure temperature. A thermometer that shows the same reading of 82 degrees each time it is plunged into boiling water gives a reliable measurement. A second thermometer might give readings over a series of measurements that vary from around 100 degrees. The second thermometer would be unreliable but relatively valid, whereas the first would be invalid but perfectly reliable" (p.19)

The question in here is to interpret data readings and relating to previous knowledge. In this case theory: one as to know that water boils at 100º and that varies under different ambient pressures, plus many other things that affect and condition interpretation (find out reading on p.21).

What we are dealing in social sciences in not an utopic laboratory experience were we can control the variables we want to account for, regardless of the context they inhabit. Because of that, the amount of variables that we are dealing with, in real life contexts, can not be desagregated for a laboratory test. They have to be observed in their context by «us», the observers. At the same time we have to acknowledge that we influence what we are observing and that we only observe what our mental grids allows us to see.

That's why it is so important to begin by designing the case we are studying. The case study protocol becames more than an instrument, it guides the researcher during all the work to be conducted, how it is going to be carried, what is going to be observed and how, norms and procedures during research, so that reliability becames higher (Robert Yin, 1994, Case Study Research: design and Methods). On pp. 63-74 you will find guidance for the design:

- overview of the case study project
- field procedures
- case study questions
- guide for the case study report

To have a research notebook (or blog) helps remind us of possible bias one might have regarding: what's being observed, under what conditions, other things we didn't previously considered, something that went wrong that originated new prepositions, and so on... The «ah ah» factor that´s been moving science forward and the process of discovery.

segunda-feira, dezembro 20, 2004

Universidade do Minho dá exemplo...

University of Minho mandates OA archiving by its faculty:
"The University of Minho in Portugal has adopted a policy mandating that its faculty deposit their research (with a few exceptions), and that grad students deposit their theses and dissertations, in the university's open-access repository. The university has also decided to sign the Berlin Declaration on Open Access to Knowledge. The new policy was adopted on December 6, 2004, and will take effect on January 1, 2005. For more details, see the university press release (in Portuguese or in English)." [via Peter, Open Access News]

domingo, dezembro 05, 2004

The importance of Coniecto

While reading Gabriela's eliciting and detailed accounts of KM Europe , that i was not abble to attend :( , came across one of the ties left to explore, identified in the conclusions of my master thesis ( Information role in the expatriation cycle ), for future work: the importance of Social Network Analysis (SNA) and the works of David Krackhardt.

Because the thesis is only considered completed after one as defended it, will only post the abstract [Nota: procurar mais entradas neste blog (que já estejam indexadas pelo google) sobre MEIBD ou usando a palavra defesa]:

"The increased process of businesses globalization has intensified the flow of companies’ top executives across borders. In Portugal, the same movement occurred as the internationalisation of several sectors of the country’s economic activity increased in recent years. New information needs arise and are added to the several other challenges faced by these executives when they move to a foreign country (namely cultural differences of the host countries, and in many cases the lack of local language skills that prevent them to understand the social context and physical environment).

This study aimed at to identify and to understand the role of information in what concerns the top executive mobility process. As a result, this study also aimed at to draft organisational information management policy guidelines, to help organisations make the most of their expatriates’ experiences.

The methodological approach chosen was the case study approach in an economic group of the Portuguese financial sector with several business operations abroad. Several data collections methods were used, including interviews and in loco interaction with the expatriates in three different countries.

The results of this study show that there are two critical moments concerning expatriates information needs which correspond to transitions of their informational spaces: first, the moment of arrival to the host country and second, when they return to their home country. A model that incorporates in the organizational information system the information on expatriates, across the various phases of the expatriation cycle, is proposed."

[Mónica André (2004). Papel da Informação no Ciclo de Expatriamento, dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Estudos de Informação e Bibliotecas Digitais (MEIBD), Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE), não publicado.]

sábado, novembro 27, 2004

Não vale a pena continuar a desacreditar os resultados...

... que se encontram disponíveis por este pesquisador. No entanto não vale a pena ficar de braços cruzados, como se tudo já estivesse feito, todas as pesquisas resolvidas, todas as necessidades supridas.

A maior parte do recursos existentes, para a comunidade ligada à investigação, continuam a não aparecer nos resultados que são devolvidos pelas pesquisas do Google Scholar, conforme o apanhado feito por Shirl Kennedy and Gary Price, from ResourceShelf, comment on Google Schoolar: Big News: "Google Scholar" is Born:

"Is all of this yet another nail in the coffin for library resources and maybe librarians? Too early to tell, of course. Kudos to Google for doing so but the library community could (should?) have done something similar years ago. Why didn't we?"

Continuar a achar que a desculpa é que "outros ainda fazem pior do que nós" e que já muito foi feito para o que é utilizado, é uma pobre resposta que em nada benefícia os profissionais ligados à informação e às bibliotecas.

Temos hoje a possibilidade de nos organizarmos em rede, independentemente do espaço geográfico emque nos encontramos, e diversas são as iniciativas que podem dar visibilidade às bibliotecas quando os esforços são congregados. O repositóriUM, em Portugal, e a OCLC, a nível global, são excelentes exemplos do que pode ser feito com os contributos de cada um.

Os blogs são uma excelente ferramenta para nos colocarmos a par do que está a ser feito em diversas áreas do nosso interesse e de encontrarmos novas formas de contribuir (v.g. Blogs for Libraries), como por exemplo o Blog de George, Alice e Alana, que trabalham na OCLC, Online Computer Library Center (v.g. The Big Bang - Google Scholar, a propósito do que pode representar para o Google Scholar os contributos dos catálogos cooperativos de bibliotecas).

Das pesquisas que realizei, não encontrei nenhuma biblioteca em Portugal que faça parte desta organização. O que resulta na não indexação dos materiais existentes em todas as nossas bibliotecas em Portugal, as tais que mais facilmente poderemos consultar para aceder aos conteúdos (mesmo os que fazem parte das assinaturas que cada uma destas instituições paga e às quais podemos ter acesso, muitas vezes, electronicamente - v.g. recursos online na Biblioteca do INETI).

De certeza que deixei de fora muitas iniciativas e muitas pessoas que estão envolvidas em projectos nesta área. Fica o espaço nos comentários para rectificarem ou acrescentarem o que sabem ;-)

InBox and OutBox thinking

Registado por Mentor Cana para pensar no papel que as teorias desempenham:

"Sooner or later many of us are guided by set of theories, frameworks and paradigms in our research work, some of them tacit and some explicit. They direct our research within the appropriate and relevant scholarly community, thus increasing the chances for scholarly collaboration and communication with like-minded folks.

However, the same theories, paradigms and frameworks also limit our imagination and innovative thinking, they create the box within which we think and operate. Thus, they can have potentially negative effect by filtering away problems and issues that merit scholarly scrutiny but are not scrutinized because our mode of thinking does not allow them to reach us."

quarta-feira, novembro 24, 2004

Pois...

Ainda não percebi porquê o Dia Nacional da Cultura Científica, continuo a pensar que é perpetuar a pequenez do nosso país, tal como os dias que parecem assinalar as minorias e assim as estigmatizam. Estaríamos todos à espera deste dia, para nele (e respectiva semana) sermos iluminados para a produção da «ciência», com balões, fitas e palestras?... Posso parecer pessimista mas diria antes que sou uma realista casmurra que ainda vai acreditando que um dia...
[in researchcafe.net] "As estatísticas apontam para cerca de 25 mil os trabalhadores ligados ao sector da investigação, nem todos obviamente investigadores. O conjunto dos Laboratórios de Estado e universidades rondará os 2.500 investigadores."
E mais investigadores não há, porque nem todos são suficientemente casmurros para trabalharem com a falta de condições existentes em Portugal, e pela politiquice constante da investigação ao sabor de quem tem o poder nas mãos. É triste

sexta-feira, novembro 19, 2004

Tempo para uma pausa de fim-de-semana

Vou dar um salto até Ponte da Barca (cerca de 450Km). A família bem merece!


Casa Nobre do Correio Mor



quinta-feira, novembro 18, 2004

There's more about Google Scholar then I saw

If one types the name of an author like Nancy Adler [used in my thesis (finished, just waiting for defense)], notice the posibility of checking if the nearby library as it. It's great, all in one easy interface. Now maybe they will understand the importance of the libraries in our daily research work ;-)

Pesquisador Académico do Google (versão beta)

Mais uma ferramenta com grande potencial para quem está ligado à investigação [via YGM]. O Google Scholar (versão beta) permite pesquisar trabalhos de autores conhecidos e obter o número de citações que esses trabalhos têm, segundo algumas regras. A título de exemplo, digitei "Tom Wilson".
Para quem pretender que a tese seja indexada...

quarta-feira, novembro 17, 2004

Há coisas assim...

... de facto, o mundo é pequeno! Um telefonema que por acidente veio cair na minha extensão telefónica, acabou por resultar no que espero venha a ser o início de muitas conversas sobre comunidades virtuais. O Frederico encetou agora a sua ligação ao blogoespaço, mas já tem vários nós na rede, que dão uma ideia sobre os seus interesses e o porquê de termos ficado a falar algum tempo ao telefone :-)

terça-feira, novembro 16, 2004

Mais uma Tese - Gestão do Conhecimento

Deste vez foi o Leonel que esteve a defender a sua tese, sobre Gestão do Conhecimento, recorrendo ao estudo de caso - Leonel Alegria (2004). Gestão do Conhecimento: Estudo de Caso no Departamento de Pesquisas e Intervenção da Administração Central. Lisboa, ISCTE, MEIBD:

"Este estudo circunscreve-se ao tema da Gestão do Conhecimento organizacional. A Gestão do Conhecimento é entendida como uma filosofia ou estratégia de gestão dos recursos de informação e de conhecimento de uma organização. Através de processos, práticas e tecnologias, tem por objectivo transformar a informação e o conhecimento em activos e acções que visam a melhoria da produtividade, a inovação e a competitividade organizacional.

O estudo do tema e das problemáticas da Gestão do Conhecimento foi aplicado à realidade organizacional do "Departamento XPTO", organismo da Administração Pública. As finalidades do estudo foram as seguintes: 1) a aprendizagem organizacional; 2) a partilha do conhecimento; e 3) a melhoria (e aumento) da produtividade. Para se atingirem estas finalidades, o estudo compreendeu quatro objectivos: a) a constituição de uma base de conhecimento com meta-informação sobre os conhecimentos e competências individuais (mapeamento do conhecimento); b) o levantamento dos processos de informação e conhecimento; c) a inventariação, descrição e mapeamento das "Entidades de Recursos de Informação" (ERIs) de acordo com a metodologia "Infomap"; e d) a identificação de eventuais "barreiras" individuais e organizacionais que poderiam obstar à Gestão do Conhecimento.

Para o estudo da realidade organizacional foi adoptada a metodologia de "Estudo de Caso" - estratégia intensiva de investigação -, a qual faz uso de "múltiplas fontes de evidência", de modo a prover uma análise do contexto e dos processos envolvidos numa organização ou fenómeno. Assim, a recolha de dados congregou quatro métodos de pesquisa: dois questionários semi-estruturados ("A" e "B"); a descrição, inventariação e mapeamento de recursos de informação; e a observação participante.

De acordo com o diagnóstico realizado, desenvolveu-se um "Modelo Genérico de Intervenção da Gestão do Conhecimento". Este modelo compreendeu um "Sistema de Gestão do Conhecimento", (SGC) infra-estrutura tecnológica para gestão dos dados e da informação e um "Sistema de Intervenção Organizacional e Cultural" para gestão dos processos de informação e conhecimento (incluindo gestão de pessoas e grupos de trabalho), ambos de acordo com uma "Intenção Estratégica" para a qual existiria uma "Gestão Táctica".

O SGC assenta numa plataforma "Intranet", "web-based", que inclui tecnologias específicas que correspondem à «conversão» do conhecimento que deverão impulsionar o ciclo de aprendizagem organizacional. O "Sistema de Intervenção Organizacional e Cultural" assenta nos processos de "gestão táctica" do conhecimento: obtenção, utilização, aprendizagem e contribuição de informação e conhecimento."

Foi também oportunidade para rever colegas da 2ª edição do MEIBD, turma de 2001-2002, e colocar os contactos em dia. Dois de nós (eu e o Pedro) aguardamos que seja marcada a data para a defesa. Estamos a pensar marcar uma jantarada. Mais alguém por aí que faça parte do Mestrado em Estudos de Informação e Bibliotecas Digitais? ;-)
[Nota: procurar mais entradas neste blog (que já estejam indexadas pelo google) sobre MEIBD ou usando a palavra defesa]

segunda-feira, novembro 15, 2004

Mapeamento da Gestão da Informação (GI) em Portugal

Para quem se interessa por GI (ou anda à procura de um tópico para desenvolver a sua tese), talvez seja uma das oportunidades a não perder - Hoje, das 19:30 às 21:30, no ISCTE: Gestão de Informação: Elementos para o estudo da configuração desta disciplina em Portugal:
"(...) A configuração da disciplina de GI no contexto português pode corresponder a um fenómeno de isomorfismo em relação à disciplina de Sistemas de Informação. Para se avaliar a ocorrência do fenómeno de isomorfismo, serão objecto de análise não só todas as teses produzidas no âmbito dos MGI's [Mestrados em Gestão de Informação] entre Janeiro de 1998 e Dezembro de 2002, mas também todas as teses produzidas durante este mesmo período de cinco anos no âmbito de dois Mestrados em Sistemas de Informação."
A apresentação dos resultados provisórios do programa MESTRE, por Investigadora do INETI, Doutora Zita Correia.
Será que sabiam que o primeiro Mestrado de Gestão de Informação, em Portugal, foi lançado pelo INETI, através do CITI, com a parceria da Universidade de Sheffield , em 1991?

quinta-feira, novembro 11, 2004

Creative Commons Search / Pesquisador da Creative Commons


Creative Commons Search: "(...) this search helps you find photos, music, text, and other works whose authors want you to re-use it for some uses -- without having to pay or ask permission."
Muitos artigos editados em revistas de acesso livre são apanhados por este pesquisador. Por exemplo, os artigos da Information Research.
Para quem pretender licenciar o seu weblog com uma licença da CreativeCommons, está tudo explicado
aqui.

quarta-feira, novembro 10, 2004

conversations with strangers

Couldn't hold myself while reading the results from one study and finding similarities with engaging conversations in the blogspace.
: "(...) the normal unwritten rules of privacy and reserve are suspended - we are granted temporary `remission' from our conventional social inhibitions, and friendly conversation with strangers is regarded as entirely appropriate and normal behaviour." [from antropologi.info - Social and Cultural Anthropology in the News]
... in the study they refer to pubs in UK, in the begining of the sentence that i have deliberatly omited, so you could see my point ;-)

segunda-feira, novembro 08, 2004

Comparative Response to a Survey Executed by Post, E-mail, & Web Form

Thought I would post this below, since it's usefull for people conducting (or thinking of) surveys via internet with also a good references' section, giving a very good starting point. If research isues interest you, you may also like to have a look in The use of English questionnaires in cross-national research, Qualitative Research Bibliography, Digital information in the Information Research field, and Conducting Research Surveys via E-mail and the Web.

Gi Woong Yun & Craig W. Trumbo (2000).Comparative Response to a Survey Executed by Post, E-mail, & Web Form. Journal of Computer-Mediated Communication, vol.6 (1):
"Recent developments in communication technologies have created alternative survey methods through e-mail and Web sites. Both methods use electronic text communication, require fewer resources, and provide faster responses than traditional paper and pencil methods. However, new survey methodologies also generate problems involving sampling, response consistency and participant motivation. Empirical studies need to be done to address these issues as researchers implement electronic survey methods."

terça-feira, outubro 26, 2004

Metapesquisador da Universidade de Aveiro

Ferramenta muito útil para quem está numa fase de levantamento inicial da literatura existente sobre determinado tópico e, claro, à medida que vai decorrendo o estudo e temos necessidade de mais informação [via researchcafe.net].
Cá fica o registo de mais uma iniciativa da Universidade de Aveiro, o Colcat, que permite fazer uma metapesquisa em diversas bases de dados bibliográficas (algumas nacionais e 2 estrangeiras). Boas pesquisas!

sexta-feira, outubro 22, 2004

Dois novos estudos de informação e bibliotecas digitais (EIBD)

O resultado do investimento das pessoas que conseguiram ter capacidade de visão (e muita persistência), começa agora a trazer resultados para a comunidade científica e académica, numa área tão importante para a Sociedade da Informação e do Conhecimento, como são os Estudos de Informação e Bibliotecas Digitais (EIBD).
Deixo a referência a mais duas das teses, já defendidas, de que tive conhecimento: a primeira da Mestre Sandra Marques Pinto, O Papel do Bibliotecário na Gestão e Desenvolvimento de Colecções Digitais, e a segunda, defendida ontem, da Mestre Emília Lúcia Mariano Pacheco, A Biblioteca Híbrida: o acesso ao conteúdo das publicações periódicas científicas portuguesas nas bibliotecas universitárias. Deixo ficar os resumos, para que possam fazer uma ideia das abordagens e da temática tratada:
Emília Pacheco (2004), A Biblioteca Híbrida: o acesso ao conteúdo das publicações periódicas científicas portuguesas nas bibliotecas universitárias. Lisboa, MEIBD / DCTI / ISCTE :

"Nas bibliotecas universitárias, o acesso à informação científica faz-se, entre outras formas, através das publicações periódicas científicas e técnicas. A evolução tecnológica, forneceu às bibliotecas diferentes modos de acesso e vários tipos de suporte para estas fontes de informação. Contudo, apesar da edição electrónica, a revista impressa, continua a ser relevante. No mundo académico, a pesquisa e recuperação de informação nas publicações periódicas é a forma mais habitual de ter acesso ao conteúdo dos artigos. As melhores ferramentas para empreender esta tarefa, são as bases de dados internacionais de indexação e resumos. Todavia, o conteúdo das publicações editadas em Portugal, raramente é referenciado nestas bases de dados.
São objectivos deste trabalho, caracterizar a actual situação relativamente ao acesso à informação sobre o conteúdo das revistas científicas e técnicas portuguesas, examinar as soluções existentes para melhorá-lo e propor a que nos parece mais vantajosa.
No decurso deste trabalho é apresentada uma revisão do estado da arte no domínio dos modelos de infra-estruturas e de tecnologias para a partilha de dados bibliográficos. Descrevem-se três soluções técnicas representantes, respectivamente, de cada um dos modelos anteriormente mencionados. São ainda referidas experiências nacionais e internacionais de abordagem do problema. É proposta uma solução de catalogação analítica partilhada das revistas portuguesas, fundamentada numa experiência local. Em conclusão, apresentam-se algumas considerações para o desenvolvimento de um projecto cooperativo nesta área, face ao actual panorama, designadamente, a importância de um projecto cooperativo de catalogação analítica de orientação temática, multilíngue e com descrição de conteúdos tão completa quanto possível. Considerou-se igualmente que o modelo de partilha de dados adequado, não existe em abstracto, mas terá de ser encontrado em função da orgânica de cooperação adoptada.

sexta-feira, outubro 15, 2004

Workshop sobre e-Mobilidade na APDSI

APDSI vai realizar um Workshop intitulado: "Mobilidade – Uma presença pervasiva no quotidiano das sociedades modernas", na próxima 5ª feira, 21 de Outubro, Hotel Meridian, Lisboa [ver programa].

quinta-feira, outubro 14, 2004

Ciência Hoje

Obrigada, Vitorino. São de facto espaços e iniciativas deste género que fazem falta. Um dos problemas, IMHO, é a fraca divulgação em Portugal do que se faz, de quem faz e para que se faz. Só assim podemos sentir orgulho e tentar esquecer que temos, muitas vezes, que «remar contra a maré» ;-)
Gosto de pensar que cada pequenino passo que cada um de nós dá, ajuda a contribuir para esse Orgulho Nacional. Por isso, deixo também aqui a referência a este novo espaço: CIÊNCIA HOJE
"CIÊNCIA HOJE é uma publicação on-line que visa oferecer uma informação completa sobre toda a actividade científica desenvolvida em Portugal e no estrangeiro. Pretende ser um meio de contribuir para a cultura científica nacional, divulgando a investigação de qualidade que se produz no País.."

sexta-feira, outubro 01, 2004

This is it!

Vou estar ausente para fazer a revisão do texto final. As únicas ligações que vou manter são com a natureza, com as anotações existentes no texto e com o computador (sem acesso à rede ;-) Voltarei com uma sensação que (ainda) desconheço, pronta para fazer a impressão dos 7(?) exemplares e entregar a parte visivel de todo o processo que ocorreu ao longo destes dois últimos anos. Depois será o normal período de espera até que possa defender (soa a tribunal :-) o que entreguei. A seu tempo...

Utilização das tecnologias na investigação qualitativa

Para compreender as questões que se colocam na utilização das tecnologias nos estudos qualitativos, o número especial do FQS [Forum: Qualitative Social Research] Using Technology in the Qualitative Research Process alerta para algumas [das muitas] questões que nos devem orientar ao longo de todo o processo.

O processo da descoberta [process of discovery]

... [via Criatividade: devaneios e evid�ncias...]:
"The mind can proceed only so far upon what it knows and can prove. There comes a point where the mind takes a higher plane of knowledge, but can never prove how it got there. All great discoveries have involved such a leap." - Albert Einstein
[...and then we have to make it explicit so others can understand how we got there, so they can use it and/or refute it and/or test it and/or use it to build up more about the subject.]

quinta-feira, setembro 30, 2004

De "posting-it" para "bloggin-it"

A propósito de métodos de trabalho durante a tese, que tal "bloggin-it"... E para quem, como eu, confia pouco na sua capacidade de se recordar, têm sempre a hipótese de a usar ;-)


quarta-feira, setembro 29, 2004

Monitorização do ambiente

[ilustra o encontrado nos países A e B vs país C]: Choo, Chun Wei (2001). Environmental scanning as information seeking and organizational learning. Information Research, 7(1). [Available at: http://InformationR.net/ir/7-1/paper112.html]:
"Moreover, when the environment is perceived to be difficult to analyze, there is a tendency to use people sources more heavily in order to help reduce the higher levels of equivocality."

sábado, setembro 25, 2004

De Multinacional para Metanacional...

A propósito deste conceito, ver artigo de Ana Luís (2004), "From Global to Metanacional" - uma reflexão sobre a Globalização das Empresas na Economia do Conhecimento. in Ministério das Finanças, Informação Internacional: análise Económica e Política, Lisboa: DPP, vol.II, pp.75-90.
"Os autores definem empresa metanacional como uma empresa que consegue uma nova vantagem competitiva ao descobrir, aceder, mobilizar e utilizar conhecimento disperso, a partir de múltiplas localizações, espalhadas pelo mundo."
A capacidade de utilizar o conhecimento disperso, o know-how que reside nos colaboradores e nas suas redes, há muito que parece ser a questão fundamental para a internacionalização.
"Para as EMN [empresas multinacionais] já estabelecidas, o sucesso no futuro dependerá de forma crescente da sua capacidade em aceder ao saber a partir de fora das subsidiárias existentes, e da sua habilidade em interligar as competências que estão espalhadas ao longo das suas redes globais operativas.

Internacionalização da Economia Portuguesa na década de 90

José Félix Ribeiro (2003). A Internacionalização da Economia Portuguesa na Década de 90. Prospectiva e Planeamento, 9 (nº especial), pp.69-85.
"A segunda metade dos anos 90 foi caracterizada por vários processos que se repercutem na actuação do sector bancário e na sua interação com a dinâmica interna e a internacionalização da economia portuguesa " [p. 83]
Com especial destaque para a adesão da economia portuguesa à zona Euro e a inserção na dinâmica da globalização e no processo de liberalização e desregulamentação .

Ver ainda Quadro 6 (Investimento Directo de Portugal no Exterior, por sector de actividade), do mesmo relatório (Ministério da Economia (2003). Prospectiva e Planeamento, 9, p. 98), secção dedicada à análise do Investimento de Portugal no Exterior (Maria Arménia Claro e Susana Escária).

sexta-feira, setembro 24, 2004

Processos de aprendizagem...

A propósito de processos de aprendizagem e da prática de manter um blog, descobri esta entrada de Marcus O'Donnell

blogsperiment: Reflective Practice/Theory: "Blogging is linked, cumulative, open-ended research. It is grounded in our empirical experience of writing and reading, linking and surfing, thinking and responding. It is action research, grounded theory."

que me levou à teoria emergente [vd. Grounded Theory: a thumbnail sketch]:




As quatro primeiras, que ocorrem quase em simultaneo (data-collection, note-taking, coding and memoing) estão bem patentes em diversos blogs, característica aliás da própria ferramenta (v.g. blogger): a recolha de dados, sob a forma de hiperlinks, com anotações que podem ser codificadas, constituindo diversas categorias e as reflexões que vamos anotando sobre os dados recolhidos, muitas vezes, interligando com outros.
Já após a saturação de categorias, e por forma a poder estruturá-las, o recurso aos wikis já parece adequar-se melhor permitindo uma leitura global (estrutura hierárquica - em árvore), coisa que o blog não permite a menos que, se vá construíndo um mindmap. De qualquer forma, continua a ser um processo paralelo. Depois vem a escrita...
Já agora, para que não vos aconteça isto, estou numa fase em que, após os contributos de três pessoas peritas em questões abordadas na dissertação, estou a rever o texto final... parece-me uma tarefa monstruosa e solitária :-( Não há ninguém por aí com dicas sobre como ultrapassar esta fase? [nem o livro da Joan Bolker me ajuda a ultrapassar esta última fase, ou será que ainda há mais? ;-)]

domingo, setembro 12, 2004

Directório de WiFi Hotspots

Finalmente um directório com a indicação de HotSpots. Podem ir à página inicial para uma visão global. Aqui deixo o de Portugal: Portugal WiFi Hotspots. Vamos lá ver se conseguimos dar mais uso às placas wireless ;-)

terça-feira, agosto 24, 2004

saudades

Resta o registo (incompleto) na WayBackMachine para ler devagar, como um livro que não queremos que acabe, embora se lhe adivinhe o fim com o passar das páginas.


segunda-feira, julho 19, 2004

Blogoespaço ficou mais vazio :-(

Quando li a mensagem, não pensei que fosse verdade aquela coisa do «éter»... Tinha a ilusão que a Colónia voltaria a renascer... mesmo que noutro continente... Tenho saudades de uma conversa e de um livro que ainda não li... bem sei, "só aquele que está disposto a partir, e parte, se furta da paralesia dos hábitos" (H.Hesse)

sexta-feira, julho 16, 2004

World Economic Forum - Lisbon Review

World Economic Forum - Lisbon Review:

"This year's Lisbon Review assess the performance of the 15 existing EU members and looks at the competitive performance of the countries that joined the EU in May, as well those presently scheduled to join in 2007." See report in here [.pdf]

Saying what you mean

Should it be because they lack global perspective?... Workout benefits between local knowledge vs global knowledge.
Reid, D. (2002). Taking Tesco global The McKinsey Quarterly, number 3, [online for registered members].
"Employing local managers has been more of a challenge in Central Europe because of the Communist history. So we do have more expatriates there, but that’s a temporary measure. We’ve got some tremendous youngsters being trained and coming through."

quinta-feira, julho 15, 2004

The McKinsey Global Survey of Business Executives

The McKinsey Quarterly: The McKinsey Global Survey of Business Executives , July 2004

Query de pesquisa que trouxe alguém até ao Blog da Tese

Já várias vezes beneficiei de pesquisas que outras pessoas fazem e que as trazem até a este Blog. Se elas pesquisaram termos e chegaram até aos «meus interesses», então talvez eu também tenha interesse em «ver» o que elas viram... Gostei dos resultados deste: Information behaviour: an interdisciplinary perspective. Obrigada a todos os que têm deixado «pistas digitais»! [ver Tracking ideas in the Blogosphere, by Alex Halavais]

quarta-feira, julho 14, 2004

Abordagem estratégica de transferência de conhecimento (ciclo completo expat)

Harzing, A.W., Hocking,J.B. e Brown,M. (2004). A knowledge transfer perspective of strategic assignment purposes and their path-dependent outcomes. The International Journal of Human Resource Management, vol. 15(3), pp.565-586. [via Harzing.com - Research in International and Cross-cultural Management]

Questões metodológicas no desenho de questionários

Harzing, Anne-Wil (with 32 country collaborators). The use of English questionnaires in cross-national research: Does cultural accommodation obscure national differences? [under review for International Journal of Cross-Cultural Management." via Harzing.com - Research in International and Cross-cultural Management

Relatório Anual 2003 - Millennium bcp

Relatório Anual 2003 - Millennium bcp [formato .zip]. Página [.html] com segmentos do relatório [formato .pdf] e que inclui índice aqui.

Relatorio Anual 2003 - Banco de Portugal

Banco de Portugal (2004). Relatorio Anual 2003. Ver Capítulo II (Sistema Bancário): II.8.2. Estrutura de mercado
"A actividade do sistema bancário português continuou a ser dominada por cinco grupos bancários que representavam, no final de 2003, cerca de 80 por cento do activo líquido do conjunto do sistema, enquanto o total dos bancos representava cerca de 97 por cento desse agregado (Quadros II.8.2 e II.8.3)." p.211
"As quotas de mercado dos cinco maiores grupos bancários mantiveram-se acima de 75 por cento do total do sistema, em termos de activo, de recursos de clientes e de crédito concedido (...) O número de empregados do sistema bancário continuou a diminuir em 2003, reflectindo processos de reorganização interna, tendo em vista ganhos de eficiência." p.212
"As remessas de emigrantes (registadas a crédito na balança) diminuíram 12.2 por cento face ao ano anterior, para 1.9 por cento do PIB (Gráfico II.6.6). Para esta redução contribuíram, em particular, as remessas provenientes da Suíça e dos EUA, reflexo, em parte, da apreciação do euro." p. 180
Ver Quadro 1, p.187, "Fluxos de Investimento Directo" (em % do PIB)

sexta-feira, julho 09, 2004

com letra pequena, claro!

Não teria escolhido o tema desta tese se não fosse a existência de quadros expatriados (Directoras, Gestoras, Brokers, Engenheiras ;-) ... o que é novo para mim é esta «coisa» (lamento, mas ainda não sei como a classificar conceptualmente) de termos um primeiro ministro (com letra pequena, claro) a «expatriar-se» após um compromisso com o seu eleitorado e depois de termos sentido na pele as medidas de contecção (e ainda estarmos à espera de mais pela instabilidade que esta situação veio provocar). Parabéns senhor ex-pm (com letra pequena, claro), conseguiu enganar todos, até aqueles que escolheu para executarem as suas medidas, mas claro que o partido que representa será sempre uma vítima. Mas acima de tudo, ensinou-nos uma grande lição: os interesses individuais estarão sempre primeiro que os interesses nacionais. A propósito, já questionou porque é que o descrédito na classe política vem crescendo? Claro que depois de lhe dizer isto, já me posso preparar para uma fuga, digo, designío nacional, de vir a ascender a uma carreira de investigação, num país qualquer, onde paguem melhor, digo, possa exercer melhor a actividade de investigação, digo, possa representar o Made in Portugal...

quinta-feira, julho 08, 2004

thesis in webometrics

Björneborn, L. (2004). PhD thesis in webometrics: Small-World Link Structures across an Academic Web Space:
"Small-world web spaces are concerned with core library and information science (LIS) issues as navigability and accessibility of information across vast document networks containing self-organizing macro-structures constructed through distributed knowledge organization by millions of local web actors."

sexta-feira, julho 02, 2004

UE: tornar as carreiras de investigação mais atractivas

Making research careers more attractive: concrete steps leading to brain-gain results: "The most important aspects keeping EU-born researchers abroad are work quality, broader scope in position and access to leading technologies, while commitment to R&D funding, the reputation of the host organisation/employer, the presence of other research institutions and salary/job benefits also play a key role. (...) Networking and informal contacts as sources of key information may have greater ability to draw foreign researchers than previously thought. (...) A new Mobility Web Portal with over 3000 active links on job opportunities, assistance on administrative and legal issues when moving abroad etc. is just one of many new steps being taken to help market the European Research Area as a challenging and rewarding place to work. The first European Network of Mobility Centers, launched in Paris 30th June, 2004, will initially include 200 centres located in 33 countries."

quinta-feira, julho 01, 2004

Mais estratégias de pesquisa...

Procurar «dentro» dos livros (desde que se esteja registado na Amazon) - resultado de uma pesquisa com os termos "bank bcp", com a indicação dos livros existentes e as respectivas páginas (possibilidade de visualizar), onde ocorre a expressão, tal como, o que diz respeito a um só livro:
Amazon.com: Books: The Value Profit Chain : Treat Employees Like Customers and Customers Like Employees: "The NovaRede model has been rolled out internationally by BCP to include the Novabank in Greece and the Millennium chain of banks in Poland."

Case Studies INSEAD

Dutta, S. e Doz, Y. (1995). Banking on Technology At Banco Commercial Português. INSEAD Case Bibliography. p.65
Publication - Case Studies: "IT has played a central role to BCP's success. This case focuses on management of information technology within BCP and illustrates how the bank has successfully linked its IT strategy to its business strategy."

quarta-feira, junho 30, 2004

Words by Theodore Zeldin...

Theodore Zeldin: "'We risk impoverishing ourselves more than we know if we sideline the personal dimension of life."

Tecnologias e Gestão Pessoal de Informação

Boa discussão sobre as tecnologias de suporte à Gestão Pessoal de Informação (Personal Information Management, PIM, ou Personal Knowledge Management, PKM, consoante a abordagem):
Technologies for Personal Knowledge Management - 25 Jun 2004: "Personal Knowledge Management (PKM), the set of processes a knowledge worker needs to set up in order to get the best out of his knowledge during his/her daily activities, has often been considered as the missing block in most KM plans within knowledge intensive organisations, as Davenport and Prusack reckoned in their KM classic 'Working Knowledge'."

sábado, junho 26, 2004

Integrar a "invisible web"

Integrar os recursos existentes em catálogos de bibliotecas, bases de dados e informação de qualidade, existente em rede, para investigação é já algo que se pode adivinhar. Exemplo de projecto:
Peter Scott's Library Blog: "BASE is a project at Bielefeld University Library, offering an integrated search in heterogeneous scientific resources worldwide"
Artigo que descreve com mais detalhe o projecto: Search Engine Technology and Digital Libraries: Libraries Need to Discover the Academic Internet [Norbert Lossau, Bielefeld University, Germany]

terça-feira, junho 22, 2004

Mihir Desai - Repensar o valor das Joint Ventures

Mihir Desai's Publications and Working Papers - abordagem económica das Multinacionais vs Joint Ventures (JV). Um dos trabalhos que me chamou a atenção - Desai, Mihir A., C. Fritz Foley and James R. Hines Jr."A Multinational Perspective on Capital Structure Choice and Internal Capital Markets" (Forthcoming in the Journal of Finance) - aponta no sentido de as Multinacionais poderem tirar mais dividendos da sua actuação, a nível Global, do que as JV [ver entrevista Rethink the Value of Joint Ventures sobre o respectivo trabalho]:
"(...) isolate the reasons you’re considering a joint venture and make sure that you can’t buy those services or that knowledge through an arms-length contract that doesn’t require sharing ownership." [in Working Knowledge, HBS]
Uma das variáveis importantes na constituição de uma JV prende-se com a facilidade de entrada no mercado com a aquisição da quota de mercado detida pelo parceiro local. Ao isolar os factores parece ser importante depois pesá-los.

segunda-feira, junho 21, 2004

Blog com notas sobre a educação superior em Portugal

Professorices: "Notas sobre a Educação Superior em Portugal, mas não só. Também outras conversas a propósito ou a despropósito, frequentemente com evocações da origem açoriana."

sábado, junho 19, 2004

Edge: "ARISTOTLE " (THE KNOWLEDGE WEB)

Encontrei a referência ao que havia perdido e não quero voltar a perder. Edge: "ARISTOTLE " (THE KNOWLEDGE WEB):
"With the knowledge web, humanity's accumulated store of information will become more accessible, more manageable, and more useful. Anyone who wants to learn will be able to find the best and the most meaningful explanations of what they want to know. Anyone with something to teach will have a way to reach those who what to learn. Teachers will move beyond their present role as dispensers of information and become guides, mentors, facilitators, and authors. The knowledge web will make us all smarter. The knowledge web is an idea whose time has come."
O que me faz lembrar que gostava de encontrar o livro de John Brockman (1998), A Terceira Cultura: Para Além da Revolução Científica, Temas & Debates [para quem está a estudar relações interculturais, a expressão «Third Culture» pode remeter para os trabalhos de David Pollock, Third Culture Kids (TCK), mas o livro de Brockman não está relacionado com essas questões].

Moral da História...

...da "Tese de doutoramento" [in Registo]

quinta-feira, maio 27, 2004

Oportunidade para nos conhecer-mos...

Discussão sobre as possibilidades dos Weblogs no contexto organizacional a ganhar terreno. No próximo dia 2 de Junho, quarta-feira, das 14:00 às 17:00, no INETI, quem estiver interessado nesta temática terá oportunidade de conhecer diferentes perspectivas e fazer parte de uma comunidade mais alargada interessada na temática da Gestão do Conhecimento, com o lançamento de uma Zona Portuguesa - "Conhecer para Agir" - integrada no KnowledgeBoard, projecto Europeu que reúne já especialistas de diversos países (ver programa).

quarta-feira, maio 26, 2004

Mudanças na «Visão Organizacional» - Globalized workers

Azevedo, G. e Bertrand,H. (2002). Globalized workers: How the changes on “organizational vision” impact people's perception. in SASE (Society for the Advancement of Socio-Economics, Conferência de 2002.

Esperem! Não façam as malas. Leiam isto

Mamã, Papá, Marido, Filhotes... Afinal sempre se pode viver da investigação em Portugal, já não vou ter que ir estacionar carros para o Colombo. Leiam a intervenção do Primeiro Ministro na A.R.:
"O conhecimento é a primeira alavanca para o desenvolvimento. A criação e a transmissão do conhecimento são fundamentais para a inovação, o crescimento económico sustentado e a melhoria do bem estar colectivo. Apostar na investigação, no desenvolvimento tecnológico e na inovação é contribuir decisivamente para uma economia mais produtiva e competitiva. (...) razão que nos leva a fazer o maior investimento alguma vez realizado em Portugal no domínio da ciência, da investigação e da inovação. (...) afectação a esta área de mais de mil milhões de Euros – mais de 200 milhões de contos – só nos anos de 2004, 2005 e 2006. Em consequência deste esforço financeiro foi já possível avaliar o programa de reequipamento científico – o que não sucedia desde 1992 – abrir um concurso de bolsas e de projectos, atribuir um financiamento complementar às unidades de investigação. (...) Daí a aprovação, em concertação com a comunidade científica, do novo modelo de financiamento do Sistema Científico, Tecnológico e de Inovação. (...) Temos de investir mais em capital humano, nas áreas da ciência e das tecnologias. Queremos aumentar em 5000, até 2006, o número de investigadores. Para tanto serão concedidas, no período 2004 a 2006, 5 mil bolsas para mestrado e doutoramento, incluindo a realização de doutoramentos em meio empresarial. (...) Promover o emprego científico é o objectivo do eixo 4 deste Programa Nacional. Um objectivo de capital importância. (...) Uma prioridade especialíssima atribuo à capacidade que temos de ter para atrair a Portugal os investigadores portugueses radicados no estrangeiro ou investigadores de outras nacionalidades. Por isso, vamos lançar um programa – o Programa Damião de Góis - para jovens cientistas radicados no estrangeiro que pretendam regressar ao nosso País. É uma oportunidade que não podemos desperdiçar. Tal como vamos aprovar um programa nacional de fomento da mobilidade científica – o Programa Pedro Nunes. O nosso próprio Erasmus. É uma inovação de particular importância. É assim que se pode e deve caminhar. (...)"

Gosto especialmente do remate do discurso:
"Não é uma nova moda. É, sim, um novo desafio. Um momento de viragem.
Este é o tempo de nos unirmos em torno deste desígnio. Um tempo de maior motivação para os nossos cientistas e investigadores. Um tempo de maior mobilização por parte dos nossos empresários e investidores. Um tempo de maior envolvimento das nossas Universidades, Politécnicos e demais institutos de investigação
."
[via CFeA]

Bravo! Bravo! Bravooo!

domingo, maio 09, 2004

Para preparar a defesa...

«A» descreve uma tese, ponte por ponte.
- Mas qual é a ponte que sustém a Tese? - pergunta «B».
- A tese não é sustida por esta ou por aquela ponte - responde «A», - mas sim pelas relações que elas formam.
«B» permanece silencioso, reflectindo. Depois acrescenta: - Porque me falas de pontes? São só as relações que me importam.
«A» responde: - Sem pontes não há relações.
(proposta de AntColony, adaptado de Italo Calvino, "As Cidades Invisíveis", 1990.)

quarta-feira, maio 05, 2004

Inscrições para o MEIBD...

Para quem estiver com vontade, a informação relativa à 5ª Edição do Mestrado em Estudos de Informação e Bibliotecas Digitais (MEIBD) do ISCTE, para o ano lectivo 2004-2005, já está disponível aqui [Nota: procurar mais entradas em weblogs sobre ]

domingo, abril 25, 2004

Iupiii!

Parece que sempre consigo entregar amanhã o draft final do relatório (será que já sinto o cheiro a liberdade?...).

sexta-feira, abril 23, 2004

Pausas...

... porque também elas são precisas. [via AntColony] METADESIGN - Part III: "Cultures are closed networks of conversations conserved generation after generation through the learning of the children that live in them. As such cultures change if the closed network of conversations that the children learn as they live in them changes, and a new closed network of conversations begins to be conserved generation after generation through their living. One can say in general systemic terms, that what is conserved in a system or in the relations between the members of a group of systems what determines what can or not change in the system or in the group of systems. (...) No doubt the interconnectedness reached through Internet is much greater than the interconnectedness that we lived a hundred or fifty years ago through telegraph, radio, or telephone. However, we still do with Internet no more no less than what we desire in the domain of the options that it offers, and if our desires do not change, nothing changes in fact because we go on living through it the same configuration of actions (of emotioning) that we used to live. Certainly I know much of what is said and is happening in the domain of globalization of the flow of information, but it is not information what constitutes the reality that we live. The reality that we live arises instant after instant through the configuration of emotions that we live, and which we conserve with our living instant after instant. But if we know this, if we know that the reality that we live arises through our emotioning, and we know that we know, we shall be able to act according to our awareness of our liking or not liking the reality that we are bringing forth with our living. That is, we shall become responsible of what we do. (...) configuration of emotioning cannot be imposed, nor can it be demanded without denying it, it must be lived spontaneously as a matter of course because that is the way we learned to live in our childhood. Violations of such manner of living will be legitimate mistakes that can be corrected because there will be no intrinsic shame in them, they will be only errors. (...) [comp]Utopia? yes because it correspond to a way of living that has been ours in our evolutionary history, and most of us know it as an experience or as a yearning of our childhood. Anyway, to do that would be, no doubt, a magnificent work of dynamic art, and a responsible creative act as well if we want to live as Homo sapiens amans."

terça-feira, abril 20, 2004

Contributos ao Modelo Financeiro - Sistema Científico, Tecnológico e de Inovação

Já há contributos colocados no MCES, sobre o novo Modelo Financeiro - Sistema Científico, Tecnológico e de Inovação, proposto pelo Governo há uns dias [via AntColony]. Será que se conseguem recolher também os contributos que já existem espalhados por diversos Weblogs [RSS ?]...

Como estou «totalmente afastada» deste modelo (fase de conclusão de Mestrado, um Doutoramento pela frente, necessidade de publicar 100 artigos, fora a orientação de Doutoramentos), será que só me resta procurar um país que acredite no desenvolvimento das minhas competências, criando condições para quem está disposto a ganhar menos do que uma empregada doméstica, apesar de já ter dedicado 19 anos no ensino formal e de ter ingressado no mercado de trabalho à 18 anos atrás?... Sei que a minha opinião não terá peso, mas acredito que será mais fácil criar condições para reter quem ainda cá está, do que «atrair» quem já se estabeleceu na carreira com condições, dificilmente igualáveis, às que têm no exterior, após afirmação na sua área. Pensar que sonho e que o transmito aos meus dois filhotes... [como era mesmo aquela letra de Rómulo de Carvalho?]

segunda-feira, abril 19, 2004

Outputs

Pois... [Comics, from Piled Higher and Deeper]
[retirei imagem a 25Maio2004 - ver link em cima]

Contexto(s)

Sobre a importância do estudo do contexto: J. David Johnson, On contexts of information seeking, Information Processing & Management, Volume 39, Issue 5, September 2003, Pages 735-760. Resumo do trabalho [acrescentado em 04/Nov/2004]:

"While surprisingly little has been written about context at a meaningful level, context is central to most theoretical approaches to information seeking. In this essay I explore in more detail three senses of context. First, I look at context as equivalent to the situation in which a process is immersed. Second, I discuss contingency approaches that detail active ingredients of the situation that have specific, predictable effects. Third, I examine major frameworks for meaning systems. Then, I discuss how a deeper appreciation of context can enhance our understanding of the process of information seeking by examining two vastly different contexts in which it occurs: organizational and cancer-related, an exemplar of everyday life information seeking. This essay concludes with a discussion of the value that can be added to information seeking research and theory as a result of a deeper appreciation of context, particularly in terms of our current multi-contextual environment and individuals taking an active role in contextualizing."


Tags: ; ; ; ;

sábado, abril 17, 2004

Fazer a ponte entre...

... as necessidades dos expatriados encontradas no contexto de internacionalização (BlogTese) e a gestão da informação a nível organizacional com parte do que me tem atraído no B2OB. O trabalho da Lilia Efimova parece ser uma componente importante: ICEBERG: "The main results of this PhD will be (1) a framework that provides an integrated KM/learning view on factors influencing knowledge sharing and learning at the workplace and interventions to address those factors, and (2) a set of instruments that could be used for decision-making about interventions to support employee knowledge behaviour."

O tipo de necessidades de informação determina os media escolhidos...

No meu caso, os media escolhidos surgem como uma alternativa às necessidades de informação sentidas por via das barreiras encontradas reflectindo-se no tipo de estratégias encontradas pelos expatriados que observei. Pelas barreiras identificadas (quebras na comunicação organizacional; distância percebida e distância das redes de relações; infra-estruturas; contexto em que se encontram) os expatriados procuraram fazer face às necessidades sentidas de acordo com os media disponíveis nos três Países (A, B e C) observados.

[para ler] Doctoral candidates: Lidwien van de Wijngaert, Ph.D. thesis, Telematica Instituut, 1999, ISBN 90-393-1760-7, Telematica Instituut Fundamental Research Series, No. 004 (TI/FRS/004)
"Van de Wijngaert argues that the need (for information) is the determining factor in the choice of media by the user. In her doctoral thesis, she presents a method that creates a direct relationship between the need for information and the use of new media."

(re)Começar...

Como podem calcular, por esta altura estou já a «borbulhar» com ideias para novos trabalhos, embora ainda a rever a versão final para entregar, olhando para tudo o que ficou de fora, para tudo o que não consegui contar, para outras «peças» que poderia ter incorporado... mas como alguém me disse "isto é sempre um work-in-progress" e depois de "learn how to play Lego with [our] minds (V. Ramos, 1997) queremos experimentar novas «construções» com novas «peças».

(re)Começar...

(um pequeno problema!)

Ideias de abordagem para futuros trabalhos sobre internacionalização

Liesch, P. W.; Welch, L. S.; Welch, D.; McGaughey, S. L.; Petersen, B. e Lamb, P. (2002).Evolving Strands of Research on Firm Internationalization: an Australian-Nordic Perspective. International Studies of Management & Organizations, Vol. 32 (1), pp. 16-35.

"When confronted with uncertainty, the search for uncertainty-reducing information motivates actions that initiate a process of information acquisition and subsequent information-to-knowledge translation. Information is needed on all of those observables and non-observables that comprise business environments (Knight and Liesch 2002). In the present firm internationalization context, there is much observable information on foreign market characteristics, product-market combinations, transaction requirements, and the like. However, uncertainty pervades the process of firm internationalization and derives, in large part, from the non-observable components of information and its translation into actionable knowledge relating to international venturing. These components are the relational formulations among variables that remain unknown to all but the successfully internationalizing firm (e.g., know-how), and which constitute a major field of empirical research in international business." p.19

"(...) latter research demonstrates how the decomposition of the knowledge concept can provide an important basis for following knowledge processes at work in internationalization and, ultimately, in developing a more robust process theory of firm internationalization." p.20

"Networks often are critical to providing the type of information that contributes to lowering risk and uncertainty inherent in international operations. As Macdonald (1996) demonstrated, much of the knowledge that a firm needs for its international operations is contained in its external networks. Thus, building and maintaining relevant networks are an integral part of the internationalization process, as both outcomes and inputs into the process. (...) Within Kone, corporate language proficiency was shown to be an important factor in enabling some individuals to act as powerful information gatekeepers in certain countries. Expatriates with the requisite language
skills played a pre-eminent role as “language nodes” in information dissemination and knowledge transfer.
." p.21-21

"While it is somewhat self-evident that key concepts such as psychic distance, information flows, networks, and learning are person-bound, a curious aspect related to the development of ideas about the process of internationalization is the relative neglect of issues relating to the role of individuals. (...) Likewise, moving expatriates from subsidiary operations can damage relationships with key actors in the local network, and therefore affect upon subsidiary performance (...) The growing body of literature in international human resource management
recognizes the role of expatriates as knowledge-transfer agents and informal communication conduits; but the link to their role in the internationalization process is rarely drawn
." p.21

Necessidades de investigação para a Internacionalização das Organizações

"Experiential knowledge was seen as a key factor, but exactly how this factor operates has not been fully understood. Recent technological developments in information transmission associated with the Internet have again raised the question of how a firm acquires and internalizes information to enable uncertainty reduction. While recent developments in electronic business might lubricate the international transaction (Liesch and Knight 1999), and enable more timely and direct access to information on foreign markets, it remains to be learned whether the processes of firm internationalization are made more certain and present less risk through these developments
(Petersen, Welch, and Liesch 2000
). (...) In the cross-border transfer of information and knowledge, research has shown that the importance of language issues remains, and that there is a need to consider their impact on firm internationalization, apart from inclusion in the psychic-distance composite. (...) Research on “people issues” in internationalization may well herald a more general return to behavioral aspects as a basis for understanding core factors in firms’ internationalization. Bringing people to “center stage” requires a reconsideration of how individuals locate, transfer, and incorporate information; gain foreign market experience and knowledge; and build, use, and manage networks—not just in the early stages of internationalization, but in terms of supporting international business development and expansion over time. Equally important, further examination of the role of people would need to include how firms identify, collect, and harvest the wealth of knowledge embedded in their staff to form a composite, explicit source that firms can draw on to extend internationalization." p.28-30

"In order to assist researchers in this field, it is essential that methodologies be adopted that expose complex phenomena, rather than reducing complex phenomena to simplistic relationships for the purposes of ease of data collection and empirical testing." p.30


terça-feira, março 23, 2004

Information behaviour, an interdisciplinary perspective

Information behaviour, an interdisciplinary perspective: "This is a report of a review of the literature on information-seeking behaviour in fields outside information science, including the psychology of personality, consumer research, computer systems requirements studies, health communication research, and innovation research. A new model of information behaviour is proposed.", Professor Tom Wilson e Christina Walsh (1996)

terça-feira, março 16, 2004

Despesas em Actividades de I&D...

OCES - Observatório da Ciência e do Ensino Superior: Empresas e Grupos com maior despesa em actividades de I&D em 2001 - Lista das Empresas com maior despesa em actividades de I&D em 2001 até 18 de Novembro de 2002.

Fazem parte desta lista duas instituições do sector financeiro: BCP e a CGD.

quinta-feira, março 04, 2004

Suplemento do Diário Económico

II Fórum da Banca : "Suplemento sobre o II Fórum da Banca promovido pelo Diário Económico. O Fórum contou com a presença dos presidentes dos maiores bancos nacionais. Inclui entrevista com Amadeu Paiva, administrador-executivo da UNICRE."

sexta-feira, fevereiro 27, 2004

Café?

Depois do «primeiro draft» vem a agonia do que não se falou. Aquilo que para nós já é tão claro que já não achamos relevante falar. Aliás, por esta altura parece-me que nada é relevante, que não tenho nada para dizer, que tudo já foi dito de forma muito mais clara, por cada um dos especialistas nas várias áreas que intersectam o meu trabalho. Estou na fase dos «segundos drafts» que me parecem os primeiros. Não fosse o olhar crítico e o obrigar a explicitar o que se aprendeu do orientador e acho que já tinha arrumado o assunto e iniciado outros projectos. É curioso todo este processo. Não se trata de escrever sobre um assunto, ou por outra, essa é apenas a mais pequena parte que compõe todo o processo. A questão essencial é o próprio processo, o método, a sequência, a aprendizagem que está por trás de cada pequenino passo que se dá até à conclusão. Claro que a parte visivel é o documento que se entrega, mas este reflecte apenas uma parte de toda a aprendizagem. Depois... depois, é o «tempo» que nos testa a resistência. O tempo durante a qual mais artigos foram publicados, o tempo que se calhar não dedicámos à procura de mais material que deve existir, o tempo de um acesso a uma revista cuja assinatura não temos... o tempo para mantermos os nossos contactos em dia, o tempo de trocarmos ideias em voz alta deixando fluir a conversa, o tempo que não chega para uma conversa em família...

Tenho saudades de ter tempo, de parar e deixar que uma chávena de café seja só o aroma, o prazer de uma bebida quente e incorpada que se partilha numa conversa sem destino.

quarta-feira, fevereiro 18, 2004

CIPD - Managing international assignments

CIPD - Managing international assignments: "Briefing and training
The employee and the family must be prepared as thoroughly as possible for the move, both psychologically and in terms of practical information, and must be supported throughout
. "

quarta-feira, fevereiro 11, 2004

Agregação das entradas relacionadas com EPIeB: parte respeitante à economia portuguesa e internacionalização a par do desenvolvimento da banca portuguesa
O impacto do Euro na Economia Portuguesa (1999?) : "Finalmente convém recordar que, como atrás se referiu, a introdução do euro funcionará como catalizador do processo de integração e liberaliza-ção financeiras em curso, com efeitos globais no sentido do aumento da concorrência. " p.431 e "A necessidade de perspectivar os efeitos da introdução do euro num cenário muito mais vasto de mudança, é particularmente importante no caso do sistema financeiro português, uma vez que este tem sido objecto de um rápido e decisivo processo de liberalização e internacionalização com reflexos a vários níveis." p.437 Documento do Ministério das finanças (http://www.min-financas.pt/v30/gabinete/impacto/Cap9.doc)

Cadernos de Economia e O Economista

Cadernos de Economia - António Simões Lopes, Professor catedrático, Bastonário da Ordem dos Economistas, Director de Cadernos de Economia e de O Economista.

Salgueiro, J. (2002). Perspectivas da Banca Portuguesa. Cadernos de Economia, pp.48-51. :"A situação da nossa banca é hoje o resultado de alterações fundamentais que tiveram lugar desde finais dos anos 70, promovendo consistentemente uma opção clara pela abertura ao exterior e às práticas de concorrência." p.48

Nabo, F. M (2001). Os Precalços da Nova Economia. Cadernos de Economia,

Monteiro, M. A. (2001) Cadernos de Economia: "Em boa verdade, a globalização da economia e a liberdade de circulação de mercadorias, serviços (incluindo os de natureza financeira) e capitais, atingiram, na actualidade, uma situação ímpar e sem paralelo em qualquer outra época histórica. O comércio internacional nunca esteve tão facilitado, tanto pela eliminação dos entraves aduaneiros e pela melhoria dos sistemas tecnológicos e de comunicação, como, ainda, pelo incremento da circulação e da massificação da informação."

terça-feira, fevereiro 10, 2004

Embora não esteja a fazer uma Tese de Doutoramento...

... acho que o sindroma também se aplica a quem está na fase final do mestrado. Vejam se descobrem a que é que me refiro... Piled Higher and Deeper
[retirei imagem a 25Maio2004 - ver link em cima]

quarta-feira, fevereiro 04, 2004

Mitos(1), Linguagem(2) e o Impacto da Barreira Linguística(3)

(1) Harzing, A.W. (1995). The persistent myth of high expatriate failure rates. International Journal of Human Resource Management, vol. 6, May, pp. 457-475. : "The persistent myth of high expatriate failure rates seems to have been created by massive (mis)quotations of three articles. Only one of these articles contained solid empirical evidence on expatriate failure rates and in fact showed them to be rather low."

(2) Harzing, A.W. e Feely, A. J. (2002). Forgotten and neglected — Language: the orphan of International Business research. Paper presented at the 62nd Annual meeting of the Academy of Management, Denver, 9-14 August. : "(...) we intend to open up the debate on the influence of language on the way multinational organizations manage. (...) we define the "Language Barrier" and advance a series of propositions (...). We conclude by identifying the drivers underpinning the language barrier and use these to propose an approach for the future operationalization of the language barrier construct."

(3) Harzing, A.W. e Feely, A. J. (2003). Language Management in Multinational Companies. Cross-cultural management: an international journal, vol. 10, no. 2, pp. 37-52. ---> Especial antenção para o impacto das barreiras linguísticas (pp.9-11).

CREME - Centre for Research into the Management of Expatriation

CREME is the founding member of the Global Mobility Forum, an association of three leading edge research centres, including: CREME at Cranfield School of Management in the UK, The Centre for HR Strategy at Rutgers University, USA, The Strategic Global Mobility Research and Consulting Centre at Monash University, Australia.

Harris, H. (2002) “Strategic Management of International Workers”, Innovations in International HR, ORC London, 28 (1), Winter 2002, 1-5.

Harris, H. (2000) “New Forms of International Working – Trends and HRM Implications”, Croner’s Managing Internationally Mobile Employees, Issue No 4, 16 May 2000.

quarta-feira, janeiro 21, 2004

Managing Across Borders: The Transnational Solution - Bartlett e Ghoshal

Procurar dentro deste livro
Bartlett, C. A. e Ghoshal, S. (1998) Amazon.com: Managing Across Borders: The Transnational Solution, 2nd Edition: on Page 196:
"... found it helpful to focus on two dimensions of the coordination task. The first involves the coordination of the flows between organizational units, while the second relates to the personnel throughout the system. The third is the flow of information: raw data, analyzed information, and accumulated knowledge, which companies must diffuse throughout the worldwide network of national units. It ..."

Entrevista a Christopher A. Bartlett - New Global Business Manager

Globalization: The New Global Business Manager: "Today, global managers need to see the world not just as a collection of national marketplaces, but also as a source of scarce information, knowledge, and expertise—the key resources required in the development and diffusion of innovation worldwide. (...) there are three key groups who should be involved (...) global business managers (...), country managers (...) [and] functional managers who maintain oversight on the company's resources—its financial, human, or information assets—and who are able to see how those need to be developed and diffused around the world."
"If you are a country subsidiary manager, you have to be The game was being defined by giant American, European, and Japanese companies. But now we see new competitors come from smaller countries that, because their home markets are too small to support them, are moving immediately onto the global stage. We also see whole industries that are being born global, particularly the information-based, knowledge-intensive service economy."
"(...) you have to be sensitive and responsive to national differences. You had better not put someone in there who is an arrogant, ethnocentric person. It is important to understand country differences as strengths, not as impediments to your operation. (...) use the world as a source of ideas and expertise;"

Globalização e Publicidade - as questões culturais

Scanlon, J. (2004). JWT’s Early Contribution to Globalization Excerto de artigo interessante dado que a publicidade implica directamente com as questões culturais e linguísticas - pena não estar completo (apenas para quem subscreve a Business History Review).

quarta-feira, janeiro 14, 2004

Regra número 1.... (2 e 3)!

Quando estiverem na fase de redacção da dissertação, NUNCA, mas NUNCA façam o «replace» do ficheiro. Vão salvando uma versão para cada dia de trabalho. Porque é que digo isto? Devido à «mania das limpezas» e ao cansaço acumulado, ontem descobri que estava a trabalhar numa versão antiga e que, imaginem, o que me lembrava de lá ter colocado (benditos apontamentos do caderno de campo e do blog) não existia! Quando derem por estar maníacos com «backups» de segurança em MemorySticks, CDs, Desktop, Portátil, em casa, no local de trabalho, no cofre, na mala, no carro... Já sabem, estão a trabalhar para a dita dissertação. A parte boa, é que este sentimento se vai agudizando com o tempo - o que quer dizer que quanto pior nos sentirmos, mais perto devemos estar do fim... também pode querer dizer que já ultrapassámos o prazo de entrega ;-)

Klaus KRIPPENDORFF (1995)

A importância da «linguagem» - Krippendorff, K. (1995). Undoing Power.: "Languaging is a social process in which we jointly construct realities for each of us to see, occupy and to talk into. Evidently, languaging can open our 'eyes' to alternative ways of seeing and create new ways of being-with Others."

sexta-feira, janeiro 09, 2004

Expatriate Concessions

33/2002: Switzerland - Expatriate Concessions: "The article (...) discusses the Federal expatriate regulation and includes an overview of similar rules that apply in the Canton of Zurich. The article also discusses recent developments regarding reasonable double housing expenses. "
(...)
Expatriate expenses
Once a foreign employee qualifies as an expatriate, the following distinction is made to establish the scope of expenses that may be reimbursed tax-free.
a) Expatriate still resident abroad
- Travel costs between the permanent home abroad and Switzerland
- Temporary accommodation costs in Switzerland, e.g., hotel costs
- Reasonable housing expenses in Switzerland (condition: permanent home abroad maintained)
b) Expatriate resident in Switzerland
- Costs for transportation of the household goods to Switzerland and back to the home country, plus travel costs for the employee
and his family to and from Switzerland at the beginning and end of the assignment
- Reasonable housing expenses in Switzerland (condition: permanent home abroad maintained)
- School costs for an international foreign-language school in Switzerland, if no suitable Swiss school is available
The following expenses are not exempted from taxation:
- Cost of maintaining the permanent home abroad
- Furnishing of Swiss housing
- Legal assistance
- Allowances intended to compensate for price differences between home and host country"

European Labour Mobility

"[15-Feb-2002] One of the key principles of the European Union is the creation of 'an area without internal frontiers in which free movement of goods, persons, services and capital is ensured'. EU leaders have stressed the importance they attach to realising this goal. In practice, the EU's progress has been mixed, and the relatively low level of international labour mobility within the EU is significant for business, individuals and policy makers. Against this background, PricewaterhouseCoopers has undertaken an in-depth study of European labour mobility entitled Managing mobility matters - A European perspective."

Eight key types of mobile worker from the business perspective:

- ‘Traditional’ expatriate: employee moves to live and work in a foreign location, traditionally long-term (3-5yrs) but increasingly short-term (up to 1yr)
- ‘Permanent’ transfer employee takes up a permanent contract of employment on local terms and conditions
- International hire recruited to work on local terms and conditions from another country
- Local hire foreign-born individuals already working outside their ‘home country’ who are
recruited locally
- Cross-border commuter commutes to work in another country while place of residence remains unchanged
- Rotational assignee commutes from home country for a few months without changing home
- Virtual assignee assumes responsibility spanning several countries without relocating (supported by
local teams, business travel and ICT)
- Teleworking works from any location supported by ICT



As cinco barreiras encontradas neste trabalho quanto à mobilidade, segundo a empresa:

1 Lack of integrated employment legislation
2 Differing tax systems
3 Need to provide spouse employment
4 Language skills
5 Differing benefit systems

As cinco barreiras encontradas neste trabalho quanto à mobilidade, segundo os indivíduos:

1 Family e.g. child education
2 Language skills
3 Information on employment opportunities
4 Recognition of qualifications
5 Spouse employment

Survey Results - Expatriates in Europe

Expatriates in Europe Survey Results: "[12-June-2001] International Assignments - This publication highlights key trends from our fourth survey examining international assignment management among companies in Europe. Previous surveys were carried out in 1993, 1995 and 1997."

quarta-feira, janeiro 07, 2004

Review: Managing across cultures

Review: Managing across cultures: "Warner M. and Joynt P. eds. Managing across cultures: issues and perspectives. 2nd ed. London: Thomson learning, 2002. xii, 284 p. ISBN 1-86152-973-2. £27.99.
The second edition of 'Managing across cultures: issues and perspectives' has been revised and updated since it first appeared in 1996. The new edition includes contributions from many of the most outstanding authors in the field of cross-cultural and comparative management, such as Derek Pugh and David Hickson, John Child, Nancy Adler, Geert Hofstede, Fons Trompenaars, Rosalie Tung, Frank Heller, and Fred Luthans amongst others."

Niedźwiedzka, B. (2003). A proposed general model of information behaviour.



Fonte: Niedźwiedzka, B. (2003) "A proposed general model of information behaviour", in Information Research, 9(1) paper 164 [Available at http://InformationR.net/ir/9-1/paper164.html].

Neste artigo Niedźwiedzka discute o modelo proposto por Wilson (1996), colocando a enfase no contexto onde se encontram as variáveis (personel, role related, environmental) permitindo que estas possam estar presentes em qualquer uma das fases. No entanto, embora de leitura mais fácil, não permite a identificação imediata das teorias que ajudam a interpretar e compreender os «comportamentos de informação», ao contrário do modelo de Wilson.

No estudo das necessidades de informação dos expatriados, com a qual tenho estado ocupada, começa a desenhar-se, através da análise dos dados recolhidos, uma questão para a qual ainda não tenho explicação e que passo a descrever: estes expatriados (pertencentes a uma organização do sector financeiro português) ao serem deslocados para um outro país onde a empresa mãe tem operações a decorrer (para o presente estudo foram contactados e entrevistados expatriados que estão em 3 países diferentes), algumas das necessidades de informação não são enunciadas pelos indivíduos, ou seja, não existe a pré-condição «identification information need» no entanto, parecem estar presentes actividades do «cycle of information» embora a um nível não identificado pelos indivíduos, o que seria o caso do «comportamento de procura de informação» passiva enunciado no modelo de Wilson (1996) e que no modelo de Niedźwiedzka (2003) parece não estar comtemplado porquanto pressupõe a «identificação de uma necessidade de informação» seguida da «decisão de procurar informação».
Comentários? Ajuda? Explicações adicionais?...

sábado, janeiro 03, 2004

Mais uma referência ao potencial do «Search inside» da Amazom

Apenas para testar a possibilidade de inclusão da funcionalidade de pesquisar «dentros dos livros» da Amazon. Pensando que queria encontrar dentro do livro Psychology of Culture Shock todas as passagens em que «U-curve» fosse encontrada - U-curve . O potencial parece enorme. Será que não podem negociar esta funcionalidade com os editores para os livros de que somos detentores? No caso da Amazon seria fácil verificarem através do nosso historial de compras! No final de mais um dia de trabalho sabe bem fantasiar...

Diversidade cultural nas organizações

Research on Domestic and International Diversity in Organizations: A Merger that Works? "Future research could help organizations develop practices to address the host nationals' attitudes towards expatriates." e vice-versa.