quarta-feira, dezembro 31, 2003

Qualitative Research Bibliography

Qualitative Research Bibliography: "(...) find links to publications, references, and web sites that focus on qualitative research methods. The bibliography is organized into more than 30 categories which reflect the many genres of qualitative inquiry as well as some of the critical methodological issues that challenge qualitative researchers." by Bobbi A. Kerlin

terça-feira, dezembro 30, 2003

Digital information in the Information Research field

Digital information in the Information Research field: "The journals and newsletters listed here all include at least a sample of papers or news items that are freely accessible. Sites that simply provide the contents lists of journals that are not freely accessible are not listed. Note that only journals that still appear to be 'live' at the time this list was compiled are included. We welcome news of new journals and newsletters that you have found useful and that have free content." Página mantida pelo Professor Tom Wilson.

sexta-feira, dezembro 19, 2003

A todos os «viajantes»

FELIZ NATAL a todos os que por aqui passarem e os votos muitos especiais para os que, através das suas experiências de expatriamento, em diversos países, me «abriram a porta» partilhando histórias muito para além do que eu podia ter esperado. Obrigado mais uma vez, onde quer que estejam neste momento...

Pausas...

... a pretexto de uma quadra festiva. Em resposta a um email que recebi sobre o espírito de natal do orientador da tese acabei por dizer com os meus dedos (frase emprestada da autora do blog Thinking with my Fingers) o que de facto é para mim importante nesta quadra: "Acho que hoje, depois de fechar a porta da sala [em que trabalho] me vou dedicar aos prazeres que, para mim, fazem parte desta quadra: encher a casa com os aromas da tradição (biscoitos e ovos moles), os verdes festivos (arranjos florais e centro de mesa) e o calor humano à volta da mesa com uma garrafa (ou mais) de bom vinho... depois a conversa flui e tudo o resto não vale nada."

quinta-feira, dezembro 18, 2003

Fui contaminada...

... ou por outra, contaminei o meu Blog com o espírito de Natal!

segunda-feira, dezembro 15, 2003

Ariane Berthoin Antal - Knowledge of Returned Expatriates

Innovation and Organization - Publications :
"International managers are a group I am particularly interested in. After having explored the theoretical dimensions of the topic with Kathrin Boehling in 1998, I embarked on a fascinating empirical project with two interns from the ¬Department of Policy and Organization Studies at Tilburg University in 1999. Ilse Stroo and Mieke Willems worked with me to interview returned expatriates in two German multinationals. We were struck by the wide the range of types of knowledge that these international managers generate abroad, and by the limited use to which it is put on their return. The results suggest that the entire process of expatriation needs to be managed much more strategically, and one of the outcomes of the study is a fuller model of the expatriation cycle that can underpin organizational learning."


- "Expatriation as an Underused Resource for Organizational Learning" with Katrin Boehling in H. Albach, M. Dierkes, A. Berthoin Antal, K. Vaillant (eds.) Organisationslernen— institutionelle und kulturelle Dimensionen. WZB Yearbook 1998. edition sigma, Berlin. 1998 (pp. 215-238).
- "Expatriate Managers` Knowledge" in Journal of General Management, Vol. 26, No. 2, Winter 2000 (pp. 32-51).
- "Expatriates` Contributions to Organizational Learning" in Journal of General Management, Vol. 26, No. 4, Summer 2001.
- "Drawing on the Knowledge of Returned Expatriates for Organizational Learning. Case Studies in German Multinational Companies". FS II 00-104 Ariane Berthoin Antal, Ilse Stroo and Mieke Willems, 47 p.

Outros com interesse para esta temática, da mesma autora:
- Berthoin Antal, Ariane, Jing Wang, Organizational Learning in China: The Role of Returners, Discussion Paper SP III 2003-103, Wissenschaftszentrum Berlin für Sozialforschung 2003, 29 p.
- Berthoin Antal, Ariane, Victor Friedman, Negotiating Reality as An Approach to Intercultural Competence, Discussion Paper SP III 2003-101, Wissenschaftszentrum Berlin für Sozialforschung 2003, 35 p.

quinta-feira, dezembro 11, 2003

Conducting Research Surveys via E-mail and the Web by Matthias Schonlau, Ronald D. Fricker, Jr., Marc N. Elliott (2001)

Summary
Ao analisar as estatísticas das pessoas que vêm visitar o «Blog da Tese» através do pesquisador Google, tenho reparado que incluem termos relacionados com estatísticas, recolha de dados online, questionários, entre outros. Ocorreu-me deixar aqui ficar a referência a este livro - Conducting Research Surveys via E-mail and the Web – cujo conteúdo gratuito está disponível em formato Acrobat (.pdf). via PontoMedia.

Internacionalização de Bancos Portugueses

BCP - "No domí­nio da internacionalização, o Grupo BCP tem vindo, nos últimos anos, a focar a sua actividade em áreas de negócio e em mercados geográficos seleccionados, tendo em vista tirar partido das vantagens competitivas nos mercados locais em que opera, tendo como suporte o "know-How" e a experiência do BCP na distribuição a retalho de produtos e serviçosos financeiros."

BES - "A vocação internacional é uma das pedras basilares do desenvolvimento da actividade do BES ao longo da sua História. Gozando de uma reputação e prestígio internacional í­mpares entre a banca portuguesa, o Grupo BES tem como estratégia internacional investir em áreas nas quais tem vantagens competitivas, ou seja no seu core business e em mercados com relações de afinidade com o mercado de origem (Portugal). "

BPI - "Como complemento à actividade de retalho em Portugal, o Grupo BPI dispõe ainda de dois bancos de direito local - em Angola e Moçambique - bem como sucursais, escritórios de representação e acordos de distribuição nas cidades estrangeiras onde vivem comunidades de emigrantes portugueses de dimensão expressiva."

CGD - "Linhas de Orientação Estratégicas - Assumindo estas directrizes, a realização sustentada dos Objectivos Estratégicos do Grupo CGD é suportada nas seguintes Linhas de Orientação Estratégica: (...) Internacionalização - Prosseguimento da internacionalização das actividades do Grupo, considerando o mercado do Euro como o espaço natural de actuação do Grupo." e aqui.

quarta-feira, dezembro 10, 2003

Papel das fusões e aquisições na internacionalização da economia

Artigo que apresenta de forma sintética, o papel das fusões e aquisições nos processos de internacionalização e globalização da economia. João Carvalho das Neves (ISEG), 1997.
Identifica barreiras em 4 categorias, sendo uma delas (Barreiras de Informação) resultante da dificuldade de acesso à informação (p. 6).

Inovação e Sistemas de Informação

GESTÃO DE OPERAÇÕES E POSICIONAMENTO ESTRATÉGICO DAS AGÊNCIAS: O Papel dos Sistemas e Tecnologias de Informação : artigo da autoria do Dr. José Maia Pereira, fruto de investigação recente, no âmbito da sua tese de Mestrado - Gestão Estratégica de Agências Bancárias: Posicionamento Estratégico na Banca de Retalho Sustentado nos Sistemas e Tecnologias de Informação. in InforBanca nº53.

Actividade do Sector Bancário em Portugal

Actividade do sector bancário em Portugal segundo o Instituto de Formação Bancária, nas revistas InforBanca nºs 54 e 58, respectivamente: Ano de 2001 e Ano de 2002.

Banca Portuguesa e internacionalização das economias

"Por isso mesmo, muito ainda há a fazer (em termos de estudo e reflexão e, sobretudo e consequentemente, em termos de explicitação de uma visão estratégica e concretização das acções correspondentes) no que respeita ao papel da banca portuguesa face à internacionalização das economias – é como pequeno contributo para esse trabalho que, no contexto deste número da Inforbanca comemorativo dos 10 anos de existência do ISGB, pareceu útil abordar o tema." excerto de Ernâni Rodrigues Lopes - restante conteúdo aqui.

segunda-feira, dezembro 08, 2003

Primeira defesa de Tese do MEIBD já teve lugar

A candidata da primeira geração do Mestrado em Estudos de Informação e Bibliotecas Digitais (MEIBD), que já vai na sua 4ª edição, viu a sua tese aprovada. O estudo que apresentou versou sobre as questões da Preservação Digital a longo prazo e vai estar disponível na biblioteca do ISCTE [Nota: procurar mais entradas (indexadas pelo Technorati) com a palavra ].

«No news is god news»

A fase do estudo em que estou, tratamento e análise de dados, não me tem deixado grande margem para «posts». Já vão sendo visiveis padrões mas, qualquer tentativa de tentar levantar o «véu» me parece ainda prematura uma vez que ainda não está terminada a triangulação dos dados. É fascinante (e elucidativo) verificar a complementariedade entre os métodos quantitativos e os qualitativos. Enfim, nada de novo para quem também está a passar pelo mesmo. Estou a precisar de marcar uma semaninha de férias para me dedicar à redação...

sexta-feira, novembro 14, 2003

Reacções ao motor de pesquisa a conteúdos da Amazon

Dipping into books online: Is it stealing?: "Wired magazine calls the search engine 'a powerful, even mind-boggling tool,' and librarians, lawyers, and journalists have all marveled at its usefulness. Yet other observers are worried the search engine will make it easy to raid books for useful information without having to buy them."

quinta-feira, novembro 13, 2003

Banca em Portugal sec. XX

A Empresa Bancária em Portugal no sec. XX: evolução e estratégias, José Amado Mendes (2002) in Gestão e Desenvolvimento, 11, pp. 39-56. UCP.

Internacionalização da Banca

O incontornável caminho da internacionalização: Operações mais significativas: Espanha, Polónia, Grécia e Brasil - "Nos últimos 20 anos, a banca portuguesa enfrentou o desafio da nacionalização. Depois, foi o não menos desafiante processo de privatização, que visou dotar o sector de condições competitivas no mundo moderno. Concluídas as privatizações, os bancos portugueses encontram-se perante o terceiro desafio: a estratégia de internacionalização. (...) O desafio coloca-se, essencialmente, aos quatro maiores grupos financeiros (CGD, BCP, BES e BPI) que operam num mercado com elevado grau de bancarização (86%) e cuja concorrência está na base da redução da margem financeira bruta. Excluindo pequenas operações pouco significativas, a internacionalização destes bancos é já relevante em quatro países: Espanha, Polónia, Grécia e Brasil. Consciente desta estratégia, o grupo Millennium BCP está já presente na Europa, América, Ásia e África, mas é na Europa que os principais investimentos se têm vindo a concretizar. O destaque vai para os mercados polaco e grego, onde está presente com o BankMillennium e NovaBank, respectivamente." in Semanário Económico

sexta-feira, novembro 07, 2003

Communication Researcher - Marcelo Vieta

Através de um texto que PedroF (CF&A) me enviou, fui ter ao Marcelo Vieta que está a preparar o seu MBA em Toronto. A temática da Tese centra-se na «Blogsphera» com o título provisório: The Self is the Content: The Experiences of Writing the Self in the Practice of Blogging, dentro da abordagem da Comunicação Mediada através de Computadores (Computer Mediated Communication - CMC). Bons recursos dentro da temática, óptimas pistas para quem está a começar a sua Tese e alguns papers (peer reviewed e outros).

Obrigado pelo texto, Pedro - What’s Really Going On With the Blogosphere? by Marcelo Vieta (Novembro 2003).

quinta-feira, novembro 06, 2003

...


Acho que há dias assim... mente inquieta, pensamentos que não se fixam com os dedos, a alternância do que nos percorre a mente (o que quer que isso seja), a incapacidade de produzir uma só linha... snif! Mais uma semana a chegar ao fim e o que produzi?... vazio.

sexta-feira, outubro 31, 2003

Socio[B]logue 2.0

Blog de João Nogueira - Socio[B]logue 2.0. Vastos recursos de informação com ligações por categorias.

quarta-feira, outubro 29, 2003

A propósito de signos

A economia e a eficácia dos signos António Fidalgo, 1999 (Lição Síntese apresentada à Universidade da Beira Interior para Provas de Agregação).

"Economia e eficácia são propriedades de relação, pelo que atribui-las aos signos começa por ser dentro do código em que os signos se situam. Não é possível decidir da economia e eficácia de qualquer signo a não ser à luz de um código (seja este de natureza sintáctica, semântica ou pragmática). Daqui que a economia e a eficácia do uso que se faz dos signos dependa do domínio que se tem do código. A performance é determinada pela competência.
A um nível superior, a um nível que Umberto Eco e Adriano Duarte Rodrigues designam por limiar superior da semiótica,(28) não são os signos, mas os próprios códigos que são vistos e avaliados em termos de economia e eficácia. Os códigos recebem ajustamentos, sofrem alterações, nascem e morrem.
O termo de relação agora, o contexto em que se decide da validade do código, da sua economia e eficácia, é o mundo da cultura, tomada esta no seu sentido mais lato, as mundividências. É neste contexto mais vasto, no contexto da vida, o Lebenswelt husserliano, que irrompem idiolectos, slangs, linguagens especializadas, tipos de comportamento, formas de cortesia, etc..
Se no primeiro caso, ao nível do funcionamento dos signos dentro do respectivo código, a questão da economia e da eficácia é uma questão de domínio do sistema para um melhor uso dos signos, no segundo caso, ao nível da adequação dos códigos à vida, essa questão é uma questão de adaptação, de sobrevivência e de criatividade de quem vive com signos, por meio de signos e em nome de signos.
"


Esta noção é importante para perceber outro tipo de "barramento" a que os expatriados estão sujeitos e também de como está relacionado com o contexto - a eficácia do uso que se faz dos signos depende do domínio que se tem do código (no contexto em que eles ganham sentido).

[não esquecer explorar «
cultura»]

Globalização - a importância do contexto da informação

Para uma Genealogia do Discurso da Globalização da Experiência, Adriano Duarte Rodrigues, 2000.

A propósito das consequências culturais e políticas da globalização o autor refere: "O sentido da experiência decorre do quadro que delimita as suas formas. Um mesmo gesto, uma mesma palavra, uma mesma imagem, um mesmo acontecimento adquirem sentidos diferentes consoante o contexto da recepção. O actual alargamento exponencial do contexto da experiência abre um horizonte praticamente ilimitado de sentidos, acabando assim uma mesma manifestação cultural por adquirir tantos sentidos quantos os quadros de referência em que é situada.
É esta diversidade de sentidos que atribuímos aos fenómenos que faz com que, apesar de a indústria cultural repercutir praticamente no mundo inteiro as mesmas manifestações culturais, elas são vividas de maneira sensivelmente diferente em cada uma das comunidades humanas, em função da sua experiência própria do mundo.
É por isso que é hoje cada vez mais evidente a distinção entre o domínio da informação e a esfera da comunicação. Apesar da informação ser cada vez mais globalizada, atingindo a totalidade do planeta, a esfera da comunicação é cada vez mais enraizada na experiência concreta de cada uma das comunidades humanas e das suas culturas, levando mesmo ao exacerbamento da diversidade da experiência
."

Blogs Universitários e de Pós Graduação

Indústrias Culturais - Blog de Apoio ao Mestrado de Comunicação e Indústrias Culturais - Univiversidade Católica
"Este weblog destina-se a apresentar textos sobre indústrias culturais (imprensa, rádio, televisão, internet, videojogos, publicidade), no âmbito do mestrado de Comunicação e Indústrias Culturais, da Universidade Católica Portuguesa." by Rogério Santos
Jornalismo e Comunicação - Weblog colectivo criado no âmbito do Mestrado em Informaçõo e Jornalismo da Universidade do Minho (UM)
Aula de Jornalismo - Weblog das turmas de Jornalismo da Universidade do Minho (UM).
Sociologia da Cultura - Weblog do 4º ano da licenciatura em Sociologia da Universidade da Beira Interior (UBI).

Discovery as Basic Methodology of Qualitative and Quantitative Research - G. Kleining e H. Witt

Discovery as Basic Methodology of Qualitative and Quantitative Research Gerhard Kleining & Harald Witt.

terça-feira, outubro 28, 2003

Visual Communication across Cultures - Rumiko Oyama (2000)

Revista Intercultural Communication

Pista para interpretar as observações de campo relacionando-as com as barreiras a que os expatriados ficam sujeitos, nomeadamente ao nível da sua capacidade de se movimentarem no espaço: "The isotype is a system established by the Viennese philosopher and social scientist Otto von Neurath (1937, 1948). It is a system where modified and simplified visual images are used to convey information to the general public. Von Neurath believed this system to be universally communicative, as opposed to the opacity of verbal language, which he viewed as "a disfiguring medium for knowledge" in that "its structure and vocabulary fail to be a consistent, logical model of objects and relations in the physical world" (Lupton 1989:145)." by Rumiko Oyama (2000). Visual Communication across Cultures. in Intercultural Communication, ISSN 1404-1634.

Directory of open access journals

Directory of open access journals: "Directory of Open Access Journals. This service covers free, full text, quality controlled scientific and scholarly journals. We aim to cover all subjects and languages." Na altura em que consultei tinha 551 revistas (Journals) num direct�rio organizado em 15 grandes categorias. Mais um grande recurso em tempos de crise (acho que me estou a tornar adepta do Open Source extensivo).

Information as Thing - Michael Buckland (1991)

Information as thing by Michael Buckland,
School of Information Management and Systems,
University of California, Berkeley, CA 94720-4600
buckland@sims.berkeley.edu

Abstract:
Three meanings of "information" are distinguished: "Information-as-process"; "information-as-knowledge"; and "information-as-thing", the attributive use of "information" to denote things regarded as informative. The nature and characteristics of "information-as-thing" are discussed, using an indirect approach ("What things are informative?"). Varieties of "information-as-thing" include data, text, documents, objects, and events. On this view "information" includes but extends beyond communication. Whatever information storage and retrieval systems store and retrieve is necessarily "information-as-thing".
These three meanings of "information", along with "information processing", offer a basis for classifying disparate information-related activities (e.g. rhetoric, bibliographic retrieval, statistical analysis) and, thereby, suggest a topography for "information science".


About the Author: Michael Buckland

Tags: ; ; ;

sexta-feira, outubro 24, 2003

Biblioteca Electrónica

Artigo publicado na revista online Wired sobre um projecto desenvolvido pela Amazon que permite pesquisar o conteúdo dos livros de forma engenhosa e ultrapassando os problemas de copyright - The electronic library no Blog de Lawrence Lessig.

quinta-feira, outubro 16, 2003

Seblogging: Paper Draft for BlogTalk 2003

Reflecting upon the representations (4.3)

Seblogging: Paper Draft for BlogTalk 2003: "Reflecting upon the representations (4.3)"

Especial atenção para o protótipo da arquitectura apresentado pelo autor, que se encontra já em fase de teste na Penn State University . "Prototypes for a conversational learning environment on the basis of personal Webpublishing technologies" onde se pretende "(...) facilitate advanced graduate students of the Instructional Systems Program who are carrying out largely self-managed learning projects within the context of a special topics class." Muito material para reflectir e incorporar - acho que me estou a desviar do tema central da tese mas ainda acho que poderá estar aqui uma peça do puzzle ;-)

quarta-feira, outubro 15, 2003

The development of the information management research area

Macevičiūtė, Elena e Wilson, Tom (2002). The development of the information management research area in Information Research, 7 (3)

"The ideas of the information society and of information as the key resource for the development of new industries emerged in the 1970s and 80s. In the late 1970s, the US Paperwork Reduction Act (Commission on Federal Paperwork, 1977) led to a recognition that the production of information by bidders for government contracts was an unbearable cost, and the cost of handling that information at the Federal government level was also onerous.
Out of this emerged the idea that information is a resource. That is, it has potential value for an organisation and, as a result, what information resources exist should be known to the organisation (information mapping became a buzz-phrase of the time), that the costs of acquiring, storing, manipulating and using information needed to be known, and that organisational budgets should recognise these costs.
The consequences of the emergence of Information Management for research were significant: the economics of information, which, until then, had been a relatively insignificant part of economics, attained a new importance. Previously, economics had factored information out of its equations - in the market, everyone was assumed to have perfect information about that market. That is manifestly untrue, and a new field - asymmetric information - was introduced into economics.
Secondly, the information content of information systems became important: previously, data bases were just that - they consisted largely of the numbers management needs to control an organisation, such as production figures in a manufacturing organisation. The recognition that most information produced in an organisation is text rather than numbers led to work on building systems that could handle text, and a greater interest in the information systems community of the role of information retrieval.
Thirdly, it was recognised that effective systems need to be built according to the needs of the information user, rather than the convenience of the information producer, if the information is to be presented in the most appropriate way and organised in the most accessible fashion.
Finally information policy and information strategy became key terms and the need to have such policies and strategies, at national, local and organisational level was recognised.
Four decades have passed since the emergence of information management as a research field. During this period it has been developed by scholars and practitioners all over the world. In addition, a tremendous change in information handling and communication technology has occurred. Empirical research in the areas of economics, management, organisational theory, information systems, library and information science served as a basis for further theoretical development in these fields. All this had a significant influence on information management work and research. The last decade was especially interesting as many changes that have been accumulated throughout years have manifested themselves explicitly and were rooted in the academic environment.
The aim of our article is to reveal the change of the information management research area during this past decade (from 1989 to 2000).
The article consists of the background overview of the discussions about information management and information management research contents, description of the method of research article analysis, presentation and discussion of the results, and conclusion."

Factors Influencing Environmental Scanning in the Organizational Context

Correia, Zita e Wilson, Tom (2002) Factors Influencing Environmental Scanning in the Organizational Context in Information Research, Vol. 7 (1).

Abstract: "This paper identifies and analyses the factors internal to the organization, which affect the activity of environmental scanning, understood here as the information seeking activity of managers, directed at the company's external environment. These factors include individual factors, such as information consciousness and exposure to information, and organizational factors such as information climate and "outwardness". The main relationships among them are also analysed. These factors were identified in the course of research aiming to provide a comprehensive understanding of the environmental scanning process (Correia & Wilson, 1996). The methodology used - a case-study approach coupled with the grounded theory method of qualitative analysis - was of major importance in obtaining information that is grounded largely on the personal experience of managers."

Qual o papel que os expatriados podem ter enquanto parte integrante do processo de "environmental scanning"?

domingo, outubro 12, 2003

Yoneji Masuda - Sociedade da Informação

Considerado como o pai do termo Information Society, em Japonês Joho Shakai, tendo sido usado em Inglês pela primeira vez numa conferência em que o autor participava. Usado no Japão desde 1968 (confirnação através do título do livro Joho Shakai Nyumon (Introdução à Sociedade da Informação).
In the work of futurists such as Masuda these transformations were linked to an idealistic vision of an emergent society in which increased availability of information and free time resulted in declining materialism, improved self-actualisation, voluntary civic participation, enhanced global and ecological consciousness, and, ultimately a revival of spirituality--in short "computopia."23 But this concept of extensive computerisati on also entered the domain of public policy, sponsored by the powerful Ministry of International Trade and Industry, as a hard-headed development strategy aimed at overcoming shortages in labour and natural resources, securing international markets and remedying the widespread social disaffection of the 1960s. The creation of an "information society" became a centrepiece of Japanese economic planning.

In North America and Europe, interest in these ideas was accelerated by economic recession, whose first tremors had appeared in the late 60s. Bell and his colleagues had assumed an uninterrupted continuation of post-war rates of economic growth. But by the mid-1970s this prediction was abruptly confounded as social disorder was met by austerity, recession and economic crisis. However, as the West's leaders searched for solutions to social economic malaise, their eyes turned to the `Japanese miracle'--only to discover joho shakai as a strategy for computerisation, robotisation, workplace reorganisation and systematic `softening' of the economy. Under this guise, postindustrialism earned a new lease of life. In 1978, a conference of Japanese and US communications scholars resulted in the publication of the first North American book to use the term "information society" in its title." in Cyber-Marx: Cycles and Circuits of Struggle in High Technology Capitalism (1999), pp.9-10.
Texto de Yoneji Masuda com material para reflexão - The Information Society as Post-Industrial Society: "Parameters of the Post-Industrial Society: Computopia" in Forester (1985), pp. 620-634.

domingo, outubro 05, 2003

Resultado desta semana e meta para a próxima

Transcrevi 5 entrevistas, apesar de ainda estar a trabalhar com o meu gravadorzeco, o que me vai obrigar a subir a parada para a próxima semana. Vou fixar 5 transcrições como objectivo.

sábado, outubro 04, 2003

Em tempos de crise...

No site da National Academies Press encontram-se mais de 2,500 livros de diversas áreas, com possibilidade de ler em linha (online) ou, caso se pretenda, imprimir em formato pdf (página a página). O acesso é livre!

Gestão de Informação vs Gestão do Conhecimento

A propósito desta questão, não resisti a transcrever uma frase que encontrei num artigo de Yogesh Malhotra com o título: From Information Management to Knowledge Management: Beyond the 'Hi-Tech Hidebound' Systems.

"To conceive of knowledge as a collection of information seems to rob the concept of all of its life... Knowledge resides in the user and not in the collection. It is how the user reacts to a collection of information that matters." (Churchman, 1971, p. 10)

Em contraponto, fica o artigo de Tom Wilson (2002), The nonsense of 'knowledge management', que no próximo dia 18 de Outubro, entre as 10:00 e as 12:30, vai estar presente no Ciclo de Seminários em Estudos de Informação e Bibliotecas Digitais no ISCTE.

sexta-feira, outubro 03, 2003

HELP! Procuro máquina para transcrição de entrevistas

Já¡ coloquei este pedido na rede interna da instituição onde trabalho mas, até agora, ainda não recebi nenhuma resposta.
Estou a trabalhar com o gravador de micro-cassettes que utilizei para realizar as entrevistas e... cada hora de gravação corresponde a 6 de transcrição. Apesar disso, 4 entrevistas estão terminadas.
A semana de trabalho já acabou mas a semana de tese ainda não. No domingo faço o ponto de situação.

domingo, setembro 28, 2003

Metas para esta semana

Alguém escreveu (ou disse) um dia que "Uma longa viagem, começa sempre por um pequeno passo". Inspirada nela (e também porque o que me falta parece uma viagem colossal), resolvi separar em pequenos "passos" as tarefas que tenho pela frente até à conclusão do projecto, juntando o factor compromisso público (em complemento à lista de tarefas que sistematicamente vou adicionando ao meu livrinho de campo - com tendência a acumular!).

Na tentativa de não impôr tarefas impossíveis, optei por marcar objectivos realistas. Caso as consiga concretizar, na próxima semana subo a fasquia. Ora, cá vão:

a) Transcrever mais 2 entrevistas
b) Deixar a bibliografia, referente ao capítulo da metodologia, pronta.

sábado, setembro 27, 2003

Referências Electrónicas - APA Style

Na página da APA, secção Electronic References, estão disponíveis informações sobre como citar/identificar materiais electrónicos.

quinta-feira, setembro 25, 2003

Personal publication as an online research tool

A propósito deste novo espaço de reflexão e do potencial da cooperação através de Blogs (ou Blogues?) ao nível da investigação e da educação ver:

Blogging thoughts: personal publication as an online research tool de Torill Mortensen & Jill Walker - "Several projects explore the use of weblogs in education, such as (obviously) Weblogs in Education, Edublog and Weblogg-Ed. These sites focus on the practical uses of online logs in teaching: the pedagogical effect of letting students publish and the potential gains in cooperation. At the time of writing (March 2002) they are mainly collections of links and examples of experiments conducted with weblogs, and are obviously works in progress." ,(p. 4)

Novo espaço de reflexão e discussão

O Blog "Pensar e Discutir - Information and Knowledge Management Issues" vem preencher um espaço que se encontrava vazio em Portugal. Fico à espera da comunidade que vai atrair e dos tópicos centrados na Gestão da Informação e do Conhecimento.

Na fase final em que me encontro (análise de dados e relatório), será muito benéfico poder trocar impressões com indivíduos que se interessam pela temática.

quinta-feira, setembro 18, 2003

Há medida que o estudo avança...

... sinto necessidade de voltar aos conceitos que estão por trás do desenho do estudo de caso, até que estes estejam interiorizados. É no confronto constante entre as questões com que me deparo e a literatura que consigo identificar quais os conceitos que ainda não são claros. Mas também nas conversas com investigadores experientes que me ajudam a detectar áreas em que não tinha pensado e que me fornecem pistas para que possa colocar outras questões.

De novo, a leitura do "Case Study Research: design and methods", de Robert Yin (1994). O meu olhar neste momento prende-se nos critérios de qualidade no desenho da investigação: a validade da construção (estabelecer medidas operacionais correctas para o objecto de estudo), a validade interna (apenas para estudos causais ou explicativos, estabelecendo relações de causa onde certas condições originam outras), a validade externa (estabelecer o domí­nio para o qual os resultados do estudo podem ser generalizados) e a fiabilidade (demonstrar que as operações do estudo, tal como o processo de recolha de dados, podem ser repetidas com os mesmos resultados) - pp. 32-38

Recuperação do Blog

De regresso a Portugal, já comecei a rectificar as mensagens cujos caracteres não apareciam legíveis. Continuo sem saber o porquê de tal...

terça-feira, setembro 16, 2003

teste... mais uma tentativa.

N�o consigo publicar...

J� estou aqui h� algum tempo e n�o consigo perceber porque � que os posts desaparecem quando escolho a op��o "publish"?....

Recolha de dados no País A - Concluída a 16 de Setembro

Fecho do último país com um total de 8 questionários preenchidos e 7 entrevistas. Todas realizadas localmente, nas instalações onde os indivíduos desenvolvem a sua actividade profissional.

Embora na mesma cidade, as distâncias existentes entre as 3 localizações da organização local, não facilitam a interactividade entre a comunidade portuguesa existente. Estão previstas novas instalações que irão albergar a totalidade dos funcionários (portugueses e locais). O número total de portugueses expatriados ao serviço da organização, neste país, em termos percentuais, é inferior a 0,1%. A comunidade de portugueses locais, segundo os entrevistados, aumentou em relação a 1999: entre 200 a 300 portugueses neste momento a viver neste país.

Os contactos com a embaixada de Portugal estão resumidos a inscrição consular e a convite para as comemorações do 10 de Junho. Quanto aos contactos com o ICEP? Não existem.

sábado, setembro 13, 2003

Problems

So it seems that I will not be allowed to post to my blog with Portuguese characters. My latest posts mess up all the previously content of the blog.

As I�m restricted by access costs I�ll be doing all the correction upon my return to Portugal. Until then I�ll have to use the international language.

Acesso à Internet

No hotel em que estou, existe possibilidade de ligação à rede nacional local através do cabo de telefone existente no quarto. O acesso é livre e existem instruções abundantes nas revistas turísticas (indicação do nome do provider, número de acesso, id e password) no entanto, o preço por impulso local (0,25 Euros) obriga a consultas moderadas, embora com a comodidade oferecida pelo quarto.

Novas entrevistas marcadas

Na segunda-feira estão agendadas mais 3 entrevistas (2 já tinham preenchido o questionário e 1 é novo). Os contactos foram feitos através de um indivíduo pertencente à organização e que se disponibilizou, logo a seguir à entrevista, para me apresentar.

Recolha de dados no país A - a decorrer

Até agora já consegui o preenchimento de 3 questionários e realizei 4 entrevistas. A dispersão das pessoas pela cidade não ajuda o registo das observações: 3 localizações diferentes (afastadas mais de 15 minutes de carro), não existem espaços comuns frequentados pelos indivíduos (conforme tinha sido observado no país C), não se houve falar a língua portuguesa (a não ser pelos telefonemas feitos entre portugueses), a língua local é falada pelos locais com os locais e o Inglês é utilizado como ponte de contacto entre portugueses e locais. Existem espaços em openspace mas todos os portugueses contactados até agora têm um gabinete próprio (contrário também ao que se observou no país C, onde apenas o director Geral tinha um gabinete próprio).

O custo de vida é inferior ao registado nos países A e B. Em termos de alojamento, estão dispersos pela cidade.

NOTAS: Chegou um indivíduo novo, há menos de 3 semanas, e as suas preocupações, em termos de necessidades de informação, são claramente distintas dos que já cá estão há mais tempo. Dois dos indivíduos entrevistados estão à espera de regressar a qualquer momento, um deles manifesta claramente falta de informação sobre a organização mãe, não sabendo até à data para onde irá desempenhar as suas funções.

quarta-feira, setembro 10, 2003

Recolha de dados no País C - concluída a 9 de Setembro de 2003

A oportunidade de recolher os dados in loco permitiu a) por um lado, o acesso directo e presencial aos indivíduos que em face da minha presença não se escusaram a disponibilizar o seu tempo, b) por outro, a riqueza da recolha através da observação directa das práticas dos indivíduos no seu contexto de trabalho. Devido ao contacto directo com os indivíduos deste país fiquei a saber que uma das pessoas que andava a tentar contactar noutro país (B) já tinha regressado à base (Portugal) o que permitiu fechar a recolha, desse outro país, com a totalidade dos indivíduos aí expatriados a trabalhar para a organização.

Saldo do País C (número total de expatriados da organização objecto de estudo, neste país: 10, embora inicialmente fossem 8) – 9 questionários completos e 7 entrevistas (+ registos de observação no local de trabalho e contacto com o contexto cultural local que vai permitir a elaboração de uma grelha que percorra as observações realizadas nos três países).

PS – Embarco amanhã para o País A (número total de expatriados da organização objecto de estudo, neste país: 12) onde tenho o contacto de um expatriado da organização. Com a deslocação a este país vou encerrar a fase de recolha.

sábado, agosto 30, 2003

Trabalho de campo...

... nos dois países que faltavam. De 4 a 10 de Setembro no País C e de 11 a 17 de Setembro no País A (a recolha no País B já tinha ocorrido). Vai ser uma boa oportunidade para verificar a utilidade deste blog (bem como o tipo de acesso público à internet nesses países).

sábado, agosto 23, 2003

Mudanças que reflectem usos...

O que presidiu à criação deste blog tinha como pano de fundo dar a conhecer ao orientador as potencialidades deste instrumento no acompanhamento da tese, através de um canal adicional de comunicação.

A pesquisa efectuada na Internet quando coloquei a questão "Como podem os logs ser utilizados como instrumento de apoio na tese" devolveu-me diversas aplicações possíveis (ex. Paquet, Sebastien (2003) Personal knowledge publishing and its uses in research): caderno de campo (uma vez que no web-log está implícito o registo sistemático de informação por um indivíduo), constituição de comunidades cientí­ficas (como exemplo o blog Lessons in Community Building: An Inquiry into the role of weblogs in online community building) entre outros e apenas no campo da investigação (para uma história sobre weblogs ver Blood, Rebecca.(2000). Weblogs: A History and Perspective).

Estas questões levaram-me a (re)avaliar os meus propósitos: de um instrumento inicialmente proposto para dar conta dos progressos registados (ou não!) numa relação entre orientado/orientador (um dos motivos que levou a mater o blog privado), para um instrumento que pode permitir trocar ideias com uma comunidade mais vasta e que hoje, aqui e agora, não habita o meu quotidiano.

Quanto ao motivo que teve mais peso para ter mantido o blog fechado? Expor o trabalho, com tudo o que o termo comporta.

quinta-feira, agosto 21, 2003

Contactos - indivíduos com o ciclo completo de expatriamento

Após reelaboração do questionário e adaptação do guião de entrevista para os indivíduos com o ciclo completo de expatriamento que tenham regressado há menos de 3 anos (baliza temporal testada com sucesso no trabalho de Ariane Antal (2000) e descrita no artigo "Types of knowledge gained by expatriate managers" in Journal of General Management, Vol.26 (2), pp.32-51) recolhi já 4 questionários e 3 entrevistas, uma delas de um indivíduo que esteve no início das operações do país B e que regressou há cerca de 1 ano.

Uma das entrevistas permitiu elucidar um ponto importante: o contexto da operação, ou seja, é diferente ser uma joint venture com parte de capital português e parte de capital do país em que vai ser desencadeada a operação (neste caso há uma transferência de know how de portugal para esse país acompanhada de um número reduzido de expatriados, geralmente ao nível da coordenação de infra-estruturas tecnológicas e de gestão, que se diluem no número de locais inferior a 1%) e o caso de uma operação com a totalidade do capital português e que segundo um dos entrevistados corresponde há aprendizagem de know how num mercado bastande desenvolvido e que se espera que os indivíduos tragam depois esse conhecimento para a base (neste caso a relação de expatriados enviados é de 50% o que pode permitir uma menor interacção no local de trabalho com indivíduos da cultura em que se encontram, para além do facto de este ser um país em que os indivíduos leêm, percebem e falam a língua local).

BLOGGER

BLOGGER

quinta-feira, julho 24, 2003

Recolha de dados

Após 2 contactos por email, segue-se o ponto de situação:

P[A] - 13 expatriados, 3 questionários preenchidos, 0 entrevistas
P[B] - 3 expatriados, 2 questionários preenchidos, 1 entrevista
P[C] - 7 expatriados, 3 questionários preenchidos, 2 entrevistas
Total - 23 expatriados, 8 questionários preenchidos, 3 entrevistas.

Na segunda-feira (28 de Julho) vou enviar por carta os questionários dos 15 expatriados que ainda não o devolveram, dando-lhes a possibilidade de enviarem por fax (posso dar o fax daqui?). Os que não enviarem serão novamente contactados nos próprios países e, caso acedam à entrevista, podem preencher nesse momento.

Estou entretanto em campo para saber quem vai regressar do Paí­s 1, para recolher os dados localmente.

Ponto situação - patrocínio

Na sequência dos contactos estabelecidos com vista ao patrocí­nio, viagens e alojamento em 3 paí­ses, necessário para a recolha de dados (trabalho de campo) e apesar de já estar em campo com o plano B (conversão de pontos acumulados em companhia aérea), contactei novamente a organização objecto de estudo e foi-me dito que entrariam em contacto comigo hoje.

Calendarização: será difícil entregar a dissertação dentro do prazo estabelecido. Tenho que dar conhecimento ao ISCTE? Tenho que pagar novamente a propina?

Implicações no plano de trabalho: quer venha o patrocí­nio ou não, tenho que avançar para o trabalho de campo - será que posso conjugar a recolha com as suas férias?...

sexta-feira, julho 18, 2003

Na sequência de conversa informal de fim de dia e por forma a não esquecer que tenho que trabalhar esta ideia para a tese: de uma análise micro aos indivíduos de uma grande organização com intervenção em diversos países a possibilidade de analisar PMEs e os problemas associados à internacionalização e a mobilidade de recursos - quais os pontos de intercepção com o presente estudo e o que pode ser aproveitado para publicar.

Primeiros passos - Teste

Até agora os passos que segui foram bastante simples: a) digitei "blogs" no Google e segui um dos primeiros links que me apareceu e vim dar a blogger.com, b) após um breve scanning da informação na primeira página seleccionei a opção "start now" no topo da página, c) apareceu um ecran para eu fazer o meu registo, d) foi criado o espaço para o meu blog onde seleccionei "add my first blog" e... e) aqui estou eu.

Acho que mais simples deve ser difícil.

PS - Depois de ter pré-visualizado o conteúdo (Preview your post) verifiquei que a única coisa que não funcionou bem foi a determinação automática da hora - penso que o servidor deve estar nos EU... também não me posso queixar pois não paguei nada para que o alojassem.